Vamos falar sobre decepções? Esse é um assunto bem presente na minha atual situação. Claro que não é a primeira vez que me decepciono, mas parece que quanto mais o tempo passa, mais as decepções tomam proporções maiores. Ou é o fato da tal maturidade que nos faz ter expectativas maiores também. De qualquer forma, as decepções existem e nós precisamos lidar com  elas. Quantas vezes nos decepcionamos com pessoas, situações, mas principalmente com Deus? Você pode pensar agora: “Angela, não diz isso, que absurdo se decepcionar com Deus!” Eu reafirmo: Sim, nos decepcionamos com Deus, inclusive. E para mim essa é a pior decepção… 

Constantes expectativas frustradas

Sejamos sinceros, houveram momentos em nossas jornadas em que Jesus não nos tratou como esperávamos. Talvez nós até nem pedimos algo egoísta, pedimos apenas para Ele proteger alguém ou para curar quem amamos. Talvez oramos até para que Deus nos desse ânimo em algum momento difícil, mas o que recebemos foram as palavras das Escrituras. Sim, boas palavras inclusive, de conforto até mesmo, mas que por fim nos pareciam apenas palavras.

Por vezes esperamos algo mais concreto do Senhor, e assim, mesmo sem admitir, nos decepcionamos…

Vivemos em um mundo de expectativas irreais. Publicidades e propagandas prometendo absurdos, promessas vazias, sem compromissos, reafirmando nossa vida ordinária. E assim vamos nos acostumando, de decepção em decepção. Sem falar que isso entrou em nossas igrejas. Estão pregando sobre um cristianismo sem tristezas, nem dores, onde nada nos abala. Até o fato de falar em decepção já causa escândalo, imagina, Deus não decepciona ninguém. Ok, decepções estão presentes no nosso cotidiano, mas quando se trata de Deus, aí as coisas são diferentes. Sabemos que Deus não é homem para que minta e de fato, Deus não mente.

Todos experimentam decepções

Mas agora sejamos sinceros, sejamos racionais, você que é um cristão verdadeiro, já leu as escrituras, certo? Porque então nós acreditamos nesses que nos apresentam um cristianismo onde suas arestas cortantes foram polidas tornando-o mais “ameno”? 

O que diremos de Jó, cujo caminho foi fechado por Deus (Jó 19:8)? E Jeremias que fora enganado e ridicularizado pelos propósitos de Deus (Jr 20:7)? E o que dizer de Moisés? E o próprio Jesus, que em sua própria cidade foi questionado sobre seu poder, e essas pessoas de Nazaré ficaram decepcionadas com Jesus, claro, porque Ele curou a tantos em outras cidades e aqui na sua cidade Natal, não? Jesus não fez o que eles queriam. E quando em Cafarnaum a multidão o empurrava para que Ele caísse em um despenhadeiro (Lc 4:29)?

Veja como esses homens de Deus lidaram com essas decepções e situações. Faz parte da caminhada do cristão passar por isso, crescemos e amadurecemos em nosso relacionamento com Deus. Você percebe?

Confiando no caráter de Deus em meio às decepções 

Eu só posso te dizer baseado em minha experiência que, na verdade, temos dificuldades em admitir a Soberania de Deus. Pensamos que o fato de acharmos que o quê queremos ou precisamos é o que Deus tem que nos dar. Mas Deus não pode ser coagido a fazer o que queremos que Ele faça.

John Koessler disse: “A certeza de que Deus, mesmo quando parece não responder, está levando todas as coisas na direção de um fim inevitável, que glorificará a Cristo e santificará a igreja, é a âncora que nos mantém firmes durante a tempestade de dúvidas que nos assola. Essa âncora se mantém fincada enquanto esperamos passar nossas dificuldades.”

Esteja à disposição de Deus

Se tratando de Deus, estamos à sua inteira disposição, e não Ele à nossa. Isso não torna nossa fé fraca, na verdade nos dá coragem de falar francamente quando suplicamos a Deus.

Eu te encorajo, assim como eu tive que fazer, a dobrar seus joelhos diante de Cristo. Você pode se agarrar as decepções e deixar que elas enrolem seu coração como uma grande serpente, ou se agarrar a Cristo, submetendo ao poder da Cruz essas decepções. Somente assim poderemos lidar com as decepções e enquanto fazemos isso, nos rendemos ao controle de sua graça e firmamos nossa esperança. Jesus não nos oferece explicações, é verdade, mas Ele oferece a Si mesmo, algo muito melhor.

Aguardando a bendita esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador, Cristo Jesus, que se entregou a si mesmo por nós para nos remir de toda maldade e purificar para si um povo todo seu, consagrada às boas obras. Tito 2:13-14.

Angela Tartas

Angela Tartas é uma escritora apaixonada pelas escrituras. Dessa paixão, surgiu a vontade de dedicar parte do seu tempo ao estudo da Palavra. Atualmente ela é aluna da nossa escola de teologia e ministério (ETM). Formada em contabilidade, Angela serve como missionária, onde atua no departamento financeiro da fhop.

Este post tem um comentário

  1. Maravilhoso texto. Vai de encontro ao que penso sobre a nossa passagem por aqui. Vida de vitória? Sim, mas para que aconteça há toda uma trajetória de crescimento que inclui diferentes sentimentos. Mas o importante é o nosso alvo que é Cristo.

Deixe uma resposta

×

Carrinho