Falar sobre a Paternidade de Deus pode ser um assunto recorrente para muitos cristãos, pois uma das características mais forte a respeito do caráter de Deus é que Ele é Pai Amoroso. Muitas vezes existe um paradigma entre aquilo que é verdade e aquilo que vivemos como verdade. A Paternidade de Deus é um desses paradigmas, pois apesar de O chamarmos de Pai podemos nos questionar até que ponto realmente temos vivido como filhos desse amor.

Quando Jesus se despiu de sua gloria e tornou-se homem como nós, Ele revelou o coração de Deus como nunca antes, Ele desvendou algo que nenhum profeta do Antigo Testamento fizera, Ele indicou o caminho para o coração de Deus Pai.  Jesus disse: “Ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.5); “Quem me vê a mim vê o Pai; ” (João 14.9).

Mesmo falando sobre temas tão diversos Jesus sempre nos convida a vivermos a verdade não apenas como servos, mas principalmente como filhos. No episódio com a mulher samaritana podemos observá-Lo falando sobre a verdadeira adoração: “Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. ” (João 4.24).  Mesmo falando de adoração o cerne da questão é o Pai. Deus procura uma ligação paternal até mesmo na adoração, uma relação de intenso amor. Pois Ele é Amor.

Quando Jesus falou sobre oração em Mateus 6.6, mais uma vez ele aborda o assunto do ponto de vista de uma relação entre pai e filho: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. ” A presença de Deus Pai está acessível em seu quarto, o lugar mais íntimo e pessoal de sua casa, lugar onde você pode descansar. Lugar onde o Pai espera para estar a sós contigo.

Independente do assunto tratado por Jesus em sua Palavra, Ele nos chama para olharmos para Ele e ver o Pai, quando contemplamos Jesus, contemplamos o Pai. Quando experimentamos o amor de Jesus conhecemos a profundidade do amor do coração Paterno de Deus e esse amor nos transforma. Quando nos tornamos filhos, somos aceitos, nos tornamos livres.

Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso, Nayla é missionária em tempo integral desde 2011, tendo já servido durante 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão) e quase 2 anos como missionária intercessora no FHOP (Florianópolis House of Prayer). Atualmente dedica uma parte do seu tempo para ensinar artes para crianças em uma ONG em Florianópolis e outra parte do tempo para trabalhar com justiça social, com foco em tráfico humano. Nayla carrega um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ama o mundo artístico e criativo, é apaixonada por missões, mas tem como maior desejo ver o nome de Jesus sendo conhecido entre todos os povos e tribos da Terra.
×

Carrinho

Fechar