Fhop Blog

Achará o filho do homem fé na terra?

Achará o filho do homem fé na terra?

Muita coisa tem acontecido no mundo. Violência desenfreada, rumores de guerras, terremotos, muitos suicídios, depressão e fome. Consequentemente ao olhar para as aflições do mundo nós seres humanos entramos em uma busca por respostas para compreender os por quês ou a real razão da dor e sofrimento.

Porém, nessa busca muitas vezes adquirimos uma mentalidade de um Deus punitivo, nos baseando que Deus se relaciona conosco por meio de uma justiça retributiva alicerçada nos nossos méritos e deméritos. Todavia atribuir a dor, o sofrimento e a tragédia a um ato punitivo de Deus é, tão cruel como a tragédia em si. DEUS NÃO É UM SÁDICO.

Colocamos Deus em uma posição de tolo, incompetente, apático ou até mesmo de um Deus perverso. Mas edificar uma mentalidade assim, certamente nos levará a um lugar de desesperança e descrença. Só conseguiremos prever um futuro de dor, medo e tristeza.

O Juiz iníquo

“Ele disse: “Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se importava com os homens. E havia naquela cidade uma viúva que se dirigia continuamente a ele, suplicando-lhe: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário’. “Por algum tempo ele se recusou. Mas finalmente disse a si mesmo: ‘Embora eu não tema a Deus e nem me importe com os homens, esta viúva está me aborrecendo; vou fazer-lhe justiça para que ela não venha me importunar’ “. E o Senhor continuou: “Ouçam o que diz o juiz injusto. Acaso Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele dia e noite? Continuará fazendo-os esperar? Eu lhes digo: ele lhes fará justiça, e depressa. Contudo, quando o Filho do homem vier, encontrará fé na terra? ” Lucas 18:1-8

Na cidade em que a viúva vivia havia um juiz. Jesus o descreve como sendo um homem contrário a Deus. E que também não tinha qualquer respeito pelas pessoas. Ele era juiz mas não estava interessado em fazer justiça.

Dessa forma Jesus expressa através dessa comparação a enorme distância entre um ego absoluto que só pensa em si mesmo e o coração de Deus. Jesus nos assegura que se o juiz da parábola, mesmo sendo injusto, sádico e apático atendeu ao pedido da viúva por causa da sua insistência, quanto mais justiça nos fará Deus.

Com base nesse raciocínio, o estímulo de Jesus à oração partiu do princípio que o coração de Deus é aberto para nós se move na nossa direção e não um Deus que está contra nós. É desejo de Deus abençoar as pessoas que estão sofrendo, Ele nos quer abençoar e não amaldiçoar, Deus quer restaurar e não nos punir e castigar com tragédias. Esse é o nosso Deus. Um Deus que se relaciona conosco movido e de acordo com a sua graça.

Não nos trata segundo os nossos pecados nem nos retribui de acordo com as nossas culpas”. Sl 103: 10

Fé e oração

Um detalhe importante é que Lucas posicionou essa parábola sequencialmente após uma exposição escatológica feita por Jesus. No capítulo 17 o Senhor falou sobre o período difícil que seus seguidores suportariam antes de seu retorno (Lucas 17:22,23). Jesus alertou que esse período seria longo e traria um sofrimento progressivo até culminar no dia de seu retorno.

É impossível compreendermos de maneira completa as razões relacionadas a dor e sofrimento humano. Jesus disse que passaríamos por aflições e que os dias que precediam a sua vinda seriam como nos dias de Noé.

Diante dessa realidade, Ele exorta seus seguidores a perseverar em oração. Pois, a oração determina a regra da fé. Em Tiago 1:3 diz que “A prova da sua fé produz perseverança”.

Achará porventura fé na terra? Essa pergunta retórica indica que a fé será escassa. E Jesus sabia disso. Em outras palavras é como se Ele dissesse “Ei meu seguidores, vai acontecer muita coisa ruim na terra, vocês vão precisar permanecer em fé, e sabe como? Vivendo em oração incessante para que permaneçam em fé. Orem pedindo justiça, peçam pela minha restauração, peçam pela restituição”.

Orem sem cessar

As aflições virão de diferentes modos. Acredite, Deus não é o nosso algoz. Se o seu coração tem se abalado diante das aflições do mundo, ORE. Se a única ferramenta de auxilio que você tem para oferecer à aqueles que estão em meio a tragédias, for a oração, então ORE.  Transforme o grito de desespero em oração e encontrará paz. Isso nos fará suportar aquilo que não podemos mudar.

Finalmente, Deus é o nosso refúgio e fortaleza.  Torre forte, Pai da misericórdias e Deus de toda consolação. Aquele que cavalga pela justiça e verdade, aquele defende a causa do oprimido e faz justiça aos pobres. O Salmista diz: “Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra”. Salmos 121:1-2

Deste modo quando permanecemos no lugar de oração, resinificamos a nossa vida à luz da eternidade.

“Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou”. Um novo céu e uma nova terra.  Apocalipse 21:4

 

Escrito por: Jéssica Gotelip – Facilitadora Fhop School

Sobre o autor

Paulo Vieira

Deixe um comentário

Sobre nós

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet.

Publicações mais acessadas

Categorias

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe um comentário

×
×

Carrinho

ONETHING 2022

16-18 DE JUNHO . CURITIBA

10x de

R$12,00

Total de: R$ 120,00

 

 

QUANTIDADE

Informações do Ingresso

  • |