Orai sem cessar.” I Ts. 5.17

Quando comparamos o relacionamento com Deus baseado em regras e leis que o povo de Israel viveu, com o evangelho da graça inaugurado em Jesus, em geral, classificamos a graça como um atributo que acrescenta leveza ao nosso chamado. Certamente, a graça é o favor de Deus sem o qual nenhum de nós conseguiria se relacionar com Ele. Na pessoa de Jesus o caminho de acesso ao coração do Pai foi aberto. É a graça que nos capacita a orar sem cessar. Para que sejamos capazes de obedecer e cumprir as leis espirituais que a nova aliança propõe, é imperativo que cultivemos um relacionamento íntimo e pessoal com o Noivo. A oração é uma das ferramentas que nutre esse relacionamento.

Jesus orou, e certamente orou sem cessar. Ele consultava ao Pai e falava o que Ele lhe concedia que falasse (Jo. 8.38). Ele ouvia ao Pai e esse diálogo O guiava. São diversas as referências bíblicas de que Jesus separava-se para orar. Por isso, não deveria ser estranho pensar que se Ele orava, numa medida ainda maior, nós devemos imitá-lo fazendo o mesmo.

Os intercessores fizeram parte da história da igreja. Sem dúvida, eles foram decisivos para o estabelecimento de conquistas e avanços. Os pais da fé alicerçaram sua vida na oração. É unanimidade entre estes homens e mulheres a convicção de que orar é urgente e importante. Embora, orar sem cessar possa parecer utópico, inatingível e uma meta que não deve ser perseguida em nosso cotidiano, é para todos. Mas, nem todos a abraçam como um estilo de vida. No entanto, existem aqueles que entendem que esse é seu chamado, seu lugar no corpo, sua identidade.

Somos estimulados ao ler exemplos como o de Ana (Lc. 2.36). Ela elegeu a oração e o jejum como seu estilo de vida. Somos ainda mais instigados quando recebemos informações do despertamento para este mesmo chamado em nossos dias. A hora decisiva que vivemos tem impulsionado jovens, adultos e idosos a dedicar-se ao chamado integral de orar sem cessar. Independentemente da diversidade de formatos, as salas de oração ao redor do mundo têm crescido em número e influenciado suas regiões.

Acredito que muitos mais serão convocados pelo Espírito Santo a engrossar estas fileiras. Pois, é nos bastidores da oração sem cessar que vencemos as batalhas. É a oração persistente e ininterrupta que destrói qualquer nível de resistência que nos rouba as respostas (Dn. 10.13). É a vida de oração que pavimenta o caminho da volta de Jesus. Assim como aconteceu na Sua vinda, o Espírito Santo elege precursores, que à semelhança de João Batista, anunciam a urgência da estação que vivemos.

Talvez você não tenha sido chamado a dedicar-se exclusivamente ou a vincular-se a um local onde se pratica a cultura de oração como principal agente de mudança da sociedade. Embora você esteja legitimamente ocupando seu lugar no mercado de trabalho, isso não anula seu chamado de ser um intercessor. Qualquer um que entenda a importância de orar sem cessar incorpora a oração em seu dia a dia. Seja no mercado de trabalho, dentro de um lar cuidando da educação de filhos, ou em uma sala de oração: Ore! Dialogue com seu Criador e Mestre e seja agente de transformação em sua geração.

Quando estabelecemos a oração como um valor inegociável em nossa jornada, orar sem cessar torna-se possível. Como igreja, sendo seu corpo, liberamos o incenso diante do altar e esperamos pelo dia em que os anjos apresentem os incensários ao que governa para que exerça justiça (Ap. 8.4). Que privilégio governar com Ele! Anelamos pelo dia em que Ele tomará o cetro de governo entre as nações e reinaremos com Ele. Porém, o treinamento começa nesta estação. Portanto, ore e experimente nessa era a alegria de colecionar as respostas de suas orações.

Grace

Grace Wasem, gaúcha, atuou como secretária no mercado de trabalho por 30 anos. Em 2016 vinculou-se ao FHOP como missionária tempo integral. Sonha ver e contribuir para o treinamento de uma noiva apaixonada que clama: Maranatha!

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho

Fechar