Você já se sentiu impotente e desanimado ao ver o noticiário? Ah, eu creio que muitos de nós já se sentiram assim. Nos deparamos com a maldade em certo nível que nos faz pensar que a solução está distante e que nós somos pequenos e sem um poder de ação. Mas, bem…Se olharmos com a perspectiva correta veremos que nem toda nossa estranheza é incoerente. Teremos que concordar que nem todo poder de mudança está em nossas mãos.

Nós humanos somos limitados e, por mais influentes, não conseguimos mudar todas as coisas erradas. O que resta então? Permitiremos a maldade crescer sem que algo seja feito? De maneira alguma! Nós podemos e devemos fazer o que está ao nosso alcance. Devemos permanecer fazendo o que nos foi proposto e o que está diante de nós. Mas existe algo ainda mais excelente e poderoso do que nossa influência: o poder da oração. Você acredita nisso?

“Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos. Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério.” – 2 Timóteo 4:4,5

O poder da oração ultrapassa o poder de nossas ações humanas. Vamos fazer as cruzadas, vamos aos hospitais, vamos ao mercado de trabalho. Mas não nos esqueçamos de fazer tudo isso em oração e à partir do lugar de oração. Agora, oração ainda é algo que estamos fazendo por conta própria, correto? Bom, mesmo em oração, o homem é totalmente dependente de Deus e não de si mesmo.

Nem mesmo o homem mais eloquente e cheio de palavras robustas consegue imprimir alguma força em sua oração, ou chamar a atenção de Deus de forma especial. Logo, deixar de orar por não acreditar no poder da oração, é tão perigoso quanto orar por acreditar no poder proveniente de si mesmo.

Deixe-me explicar melhor: não há em nós o poder de mudança, de resposta, de transformação. Do homem com palavras mais simples ao homem mais comunicativo, existe a necessidade de Deus em sua oração. Existe a dependência daquele a quem estamos dirigindo nossas palavras. Caso contrário, a oração seria totalmente indispensável.

Se o poder da oração está em Deus, pois ele é o alvo de nossas palavras, então não deveria haver em nós motivo de silêncio. Jamais! Não é baseado em nós ou nas nossas habilidades comunicativas. Nem mesmo em nossa meritocracia.

Quanto mais ficamos conscientes de nós mesmos, mais oramos. Não apenas diante do cenário mundial ou do aumento da maldade. Nós oramos porque em nós mesmos nada podemos fazer. Nem para a mudança de uma sociedade, nem mesmo para qualquer outra coisa cotidiana. Dito isso, quero me ater ao fato de que a falta de oração aponta tão prontamente ao pensamento de que não precisamos “tanto assim” de falar com Deus. De nossa independência dele. Alguém que desistiu de orar, pensa ter encontrado em si o combustível necessário para viver. Logo, está completamente perdido.

Dediquem-se à oração, estejam alertas e sejam agradecidos.” – Colossenses 4

O ato de falar com Deus é movido pela necessidade da conexão divina, que começa com a consciência de quem somos e culmina com a revelação de quem ele é. A partir disso, passamos a orar não só porque somos pobres de espírito, mas porque ele é belo.

A maior necessidade que temos ao encontrar Deus é a da nossa própria transformação. É quando nosso desejo de ser como ele, de contemplar quem ele é, de nos manter em um relacionamento de amor, move-nos em direção a ele constantemente.

As notícias, os acontecimentos, podem nos fazer parecer impotentes. Mas, de fato podemos olhar para o lugar de onde vem o nosso socorro e, em oração, perseverarmos em um relacionamento que nos transformará e nos dará ferramentas para influenciar, com sabedoria, o ambiente ao nosso redor. E dele virão todas as respostas e toda a transformação.

“Por essa razão, desde o dia em que o ouvimos, não deixamos de orar por vocês e de pedir que sejam cheios do pleno conhecimento da vontade de Deus, com toda a sabedoria e entendimento espiritual.

E isso para que vocês vivam de maneira digna do Senhor e em tudo possam agradá-lo, frutificando em toda boa obra, crescendo no conhecimento de Deus.” – Colossenses 1:9,10

Daniela Teles

Dani, originalmente de São Paulo, é missionária intercessora em tempo integral na Florianópolis House of Prayer. Uma mulher que busca o coração de Deus e que tem o desejo de ver uma geração inteiramente comprometida com Jesus, andando no poder do Espírito e em paixão pela Bíblia.
Fechar