Ansiando pela Eternidade

NADA DE NOVO DEBAIXO DO SOL

Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade. Eclesiastes 3:11

Enquanto 2021 chega ao fim e somos arrastados para as correrias de um novo ciclo, muitos sentimentos e emoções emergem do nosso interior. Alguns dentre nós estão felizes e com o ânimo restaurado para enfrentar uma nova estação. Já outros, sucumbem a sentimentos de ansiedade e medo de que talvez as coisas negativas não mudem e, então, sentem dificuldades em sentir esperança para o novo ano.

VIVENDO SOB O RELÓGIO DE DEUS

No livro de Eclesiastes, capítulo 3, o escritor, inspirado por Deus, dá uma bela aula sobre as circunstâncias da vida. Segundo ele, na nossa jornada terrena, temos que passar por várias circunstâncias. A Bíblia não nega as emoções comuns aos seres-humanos. Podemos ver homens com medo, homens alegres, pessoas morrendo e pessoas nascendo. Na perspectiva geral de Deus, cada coisa tem o seu tempo certo para acontecer:

Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu: tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou, tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir, tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar, tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar e tempo de se conter, tempo de procurar e tempo de desistir, tempo de guardar e tempo de lançar fora, tempo de rasgar e tempo de costurar, tempo de calar e tempo de falar, tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz. Eclesiastes 3:1-8  

Essa é apenas uma das passagens bíblicas que nos asseguram sobre a soberania de Deus nas nossas vidas. Pensar dessa forma pode nos auxiliar a abraçar as estações que vivemos com sabedoria, entendendo que o novo ano trará consigo propósitos determinados debaixo do céu se vivermos sob o relógio de Deus.

Contudo, o texto sapiencial segue… e descobrimos que não fomos feitos SOMENTE para estes ciclos.

DEVE HAVER ALGO MAIOR

Apesar da sabedoria confirmar, que: “não há nada de novo debaixo do sol” – as minhas resoluções de novo ano já são as mesmas há uns 5 anos pelo menos -, a vida humana não é resumida aos nossos 70 ou 80 anos na terra. 

Ele fez tudo apropriado a seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade (…) Eclesiastes 3:11

O texto faz um contraponto: embora haja um tempo e propósito para tudo na nossa vida, existe algo além que fala de uma transcendência. Sabemos que fomos feitos para algo maior. Na verdade, estes ciclos e estações servem para nos mover e apontar para realidades atemporais.

Portanto, o que quer que aconteça no ano que vem vá com uma certeza e esperança: Deus preparou uma realidade fora do tempo chamada eternidade.

CS LEWIS em seu livro “O Peso da Glória” explicou desta forma:

“Se eu encontro em mim um desejo que nenhuma experiência desse mundo possa satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui feito para um outro mundo… Se nenhum dos meus prazeres terrenos é capaz de satisfazê-lo, isso não prova que o universo é uma fraude. Provavelmente os prazeres terrenos não têm o propósito de satisfazê-lo, mas somente de despertá-lo, de sugerir a coisa real. Se for assim, tenho de tomar cuidado para, por um lado, jamais desprezar ou ser ingrato em relação a essas bênçãos terrenas, e, por outro jamais confundi-lo com outra coisa, da qual elas não passam de um tipo de cópia, ou eco, ou miragem.” 

O QUE VOCÊ REALMENTE QUER

Você e eu fomos feitos para algo muito específico: comunhão face a face com o Deus Criador. A estrutura dos nossos corações foi feita orientada para o Dia em que estaremos juntos. É por isso que você é incapaz de satisfazer seu anseio mais profundo da alma, não importa quantos anos passem e quanto resoluções de final de ano sejam feitas e quebradas.

Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. Apocalipse 21:3,4

Pode-se dizer que mesmo se esses textos não existissem, o simples fato de que quando choramos desejamos ser consolados e ter nossas lágrimas enxugadas, aponta para um anseio de que um dia não vamos mais experimentar dor. Esse anseio é o anseio pela eternidade.

Deus sabiamente designou que os seres-humanos sentissem anseios por coisas que não satisfariam ultimamente para que, de movimento em movimento, buscassem cada vez mais o que é eterno. 

Se nós soubermos discernir nossas emoções e desafios do novo ano, poderemos filtrá-los sob a ótica da eternidade e permitir que cada vez mais desejemos a presença do amado da nossa alma.

2022 – UM ANO MAIS PERTO

Acabamos de celebrar o natal. Acreditamos de todo o coração que Jesus realmente nasceu, cresceu, viveu, morreu, ressuscitou, andou com os discípulos 40 dias e depois ascendeu aos céus diante dos olhos deles. Da mesma forma, precisamos acreditar que Ele voltará como prometeu. Veja este versículo de Atos:

Homens da Galileia, por que vocês estão olhando para as alturas? Esse Jesus que foi levado do meio de vocês para o céu virá do modo como vocês o viram subir. Atos 1:11

Pode parecer que nada mudou ou que tudo vai mudar na sua vida ano que vem. Quer você chore ou sorria, em ambos os cenários, quero te convidar a considerar a promessa da vinda do Senhor como uma realidade. Ele prometeu e cumprirá. Assim, não importa o que aconteça em 2022, estamos um ano mais perto de sermos satisfeitos eternamente.

Se você desejar ler mais sobre o tema, existem dois livros para entrar na sua lista de leitura de 2022!

 

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Este post tem um comentário

  1. A

    Interessante como os anos vão passando e se tornam tão patentes e visíveis os ciclos, as estações e a constante busca por “algo mais” do ser humano! Excelente artigo!!!

Deixe um comentário