FHOP

Compaixão: quando a liberdade bate à porta

Identidade

 

“Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?” – Mateus 18:33

Existe um segredo poderoso com compaixão que todos nós podemos encontrar em muitas situações de nosso cotidiano. Nós erramos, somos restaurados e encontramos pessoas que lutam com as mesmas coisas que nós um dia lutamos. Muitos de nós convivem com muitas pessoas, até mesmo dentro de casa, que acreditam nas mesmas mentiras que nós um dia acreditamos. Mas, por que não somos aqueles que declaram liberdade para eles também?

O fato é que a compaixão vem de um lugar de amor e liberdade de Deus sobre nossas situações e não simplesmente da revelação da dor do outro. Nossa motivação é amor e não dó. Nós sabemos que pessoas sofrem o tempo todo no mundo. Nosso inimigo mente sobre a identidade de quem essas pessoas são, mas nós só podemos efetivamente liberar a cura e transformação para elas. Compaixão não é pena. Compaixão não é colocar o outro em situação de inferioridade, mas tomá-lo pela mão e declarar libertação!

Quando temos a revelação da dor do outro podemos nos afastar ou mantê-lo a uma certa distância. Mas como Igreja e como filhos de Deus, somos chamados a andar em amor e liberdade. Nossa sociedade verá a manifestação dos filhos de Deus quando esses, de fato, expressarem a liberdade que receberam. Não a partir de um lugar de dó ou pena, mas de amor e restauração. É a compaixão que nasce do amor que carrega o poder de cura dentro da igreja e não o sentimento de superioridade sobre aqueles que lutam com coisas diferentes de nós, ou iguais.

Esse é o tempo de nos levantarmos com ousadia e liberarmos vida e amor. Se você venceu alguma batalha (porque todos nós temos batalhas individuais e todos já vencemos muitas coisas), libere a palavra de vida. Seja vulnerável, deixe o amor tocar as pessoas. Vamos ver pessoas entrarem na igreja e sentirmos amor e compaixão ao invés de pena e afastamento. Que você hoje tome posse das verdades de Deus e seja aquele com quem pessoas podem ser vulneráveis sem se sentirem intimidadas. Que você seja aquele que vive a liberdade e que não tem medo de declará-la sobre outros.

++ Libertos para liberdade. Leia Mais!

Escrito por Daniela Teles

Dani, originalmente de São Paulo, é missionária intercessora em tempo integral na Florianópolis House of Prayer. Uma mulher que busca o coração de Deus e que tem o desejo de ver uma geração inteiramente comprometida com Jesus, andando no poder do Espírito e em paixão pela Bíblia.

Comentários

comentários

Pin It

» Identidade » Compaixão: quando a liberdade bate...
Em 17 de junho de 2016

Commentários desabilitados.

« »