Fhop Blog

A boa parte nunca será tirada

Devocional

O livro de Mateus, capítulo 6, versículo 33, nos diz: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. Esta passagem nos ensina que devemos colocar Deus em primeiro lugar em nossas vidas e buscar Sua vontade acima de qualquer outra coisa. 

Para estabelecer essa nova rotina com Jesus, podemos começar com pequenos passos. Primeiramente, reservar um tempo todos os dias para estar na presença de Deus, seja através da leitura da Bíblia, da oração ou da adoração. É importante ter um momento de comunhão com Ele, colocando nossas preocupações, anseios e agradecimentos diante dEle.

Cultivando um Relacionamento Constante com Deus

Além disso, é fundamental cultivar um relacionamento constante com Deus ao longo do dia. Isso pode ser feito por meio de breves orações durante os diferentes momentos da jornada, buscando a orientação dEle em todas as decisões que tomamos. 

Outra maneira de priorizar nosso tempo com Jesus é buscar uma comunhão com outros cristãos. Participar de uma igreja e de um grupo de estudo bíblico, nos ajuda a fortalecer nossa fé e a compartilhar experiências com outros irmãos em Cristo. 

Além disso, é importante lembrar que priorizar nosso tempo com Jesus não significa negligenciar nossas responsabilidades diárias. Ao contrário, quando buscamos a orientação de Deus em todas as áreas de nossa vida, encontramos sabedoria e força para enfrentar os desafios e cumprir nossos compromissos.

Em resumo, estabelecer uma rotina com Jesus é essencial para nossa vida espiritual. Ao colocarmos Deus em primeiro lugar, buscarmos Sua vontade e alimentarmos nosso relacionamento com Ele diariamente, experimentaremos um crescimento espiritual significativo e veremos todas as outras áreas de nossa vida serem abençoadas. Portanto, vamos fazer dessa prática uma prioridade em nossas vidas e desfrutar dos benefícios de uma caminhada mais profunda com o nosso Salvador.

A Lição de Marta e Maria

Observe o texto abaixo de um exemplo claro sobre alguém que entendeu o poder de escolher a boa parte:

E, respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. Lucas 10: 41 e 42 

No trecho de Lucas 10: 41 e 42, Jesus se encontra na casa de Marta e Maria, duas irmãs que o receberam em sua residência. Marta está ocupada com os afazeres domésticos e preocupada em servir o Senhor da melhor forma possível. Enquanto isso, Maria se senta aos pés de Jesus, ouvindo suas palavras.

A Boa Parte: Viver na Presença de Deus

Marta, sobrecarregada com as tarefas que precisam ser feitas, aflita pelo serviço que julga necessário, se aproxima de Jesus e lhe diz: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe servir sozinha? Diz-lhe que me ajude!”

Jesus, por sua vez, responde à Marta: “Marta, Marta, estás ansiosa e preocupada com muitas coisas. Entretanto, quando se trata de uma coisa, Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.”

Nessa passagem, Jesus nos exorta a refletir sobre nossas prioridades e atitudes no serviço ao próximo. Marta, com sua atitude zelosa, estava correta em servir o Mestre. No entanto, sua atitude preocupada e ansiosa estava roubando sua paz e a verdadeira comunhão que ela poderia desfrutar ao lado de Jesus.

A visão de Maria

Por outro lado, Maria compreendeu que a presença do Senhor era mais importante do que qualquer tarefa ou ato. Ao se assentar aos pés de Jesus, ela demonstrou humildade e sede de aprender, valorizando a oportunidade de ouvir suas palavras e estar em sua presença.

Ao destacar a escolha de Maria como “boa parte”, Jesus nos convida a direcionarmos nosso coração para as coisas que realmente importam: nosso relacionamento com Deus e a atenção às suas palavras. Devemos buscar a comunhão com Ele, priorizando a adoração, o estudo da Palavra e a comunhão com outros irmãos em Cristo.

O convite de Jesus é que, em meio às atividades da vida cotidiana, não nos percamos nas preocupações e ansiedades que nos afastam d’Ele. Ele nos chama a viver uma vida equilibrada, colocando Deus em primeiro lugar e confiando que nossas necessidades serão supridas. Afinal, Ele é quem nos capacita e nos guia em todas as áreas de nossa vida.

Precisamos e devemos pautar toda a nossa vida tendo Jesus como o centro, dando a Ele o lugar em nossas vidas que foi conquistado na Cruz. 

Portanto, ao refletirmos sobre essa passagem, somos convidados a buscar a presença de Deus em cada momento. Que possamos aprender com Maria a valorizar a “boa parte”, cuidando do nosso relacionamento com o Senhor e desfrutando da sua graça e sabedoria em todos os aspectos de nossa existência.

Salmo 27:8

Precisamos entender e viver o que diz no salmo 27:8

Uma coisa pedi ao Senhor

e a buscarei:

que eu possa habitar na casa do Senhor

todos os dias da minha vida,

para contemplar a bondade do Senhor

e buscar a sua orientação no seu templo.

 

Minha oração por você é que priorize ao seu relacionamento com Jesus, viva para audiência de um, encontre consolo e vida aos pés do Mestre e escolha a boa parte, pois essa jamais lhe será tirada. 

A jornada de fé é marcada por encontros transformadores com Jesus, que moldam nossa visão do mundo e aprofundam nossa relação com Deus. Nesta série de textos, exploramos as experiências de diferentes personagens bíblicos e suas interações com o Salvador, durante a ressurreição de Lázaro. Através da perspectivas de Marta, aprendemos sobre conhecer ao Senhor e confiar em momentos de dificuldade. Com os discípulos, vimos uma valiosa lição de obediência e fé. Agora, no entanto, voltamos nossos olhos para Maria, irmã de Lázaro, cujo encontro íntimo com Jesus revela lições preciosas sobre dor, amor e redenção.

O Lamento como Forma de Fé

Maria, conhecida por sua proximidade e amor por Jesus, nos ensina que mesmo em momentos de intensa dor, como na morte de seu irmão Lázaro, nossa fé pode ser expressa através do lamento. Este tipo de oração, profundamente honesta e crua, é um convite à verdadeira expressão dos nossos corações diante de Deus. Em João 11:32, Maria se aproxima de Jesus com suas lágrimas. Assim, ela nos ensina que é possível trazer a Deus nossas questões mais dolorosas e íntimas, confiando que Ele nos ouve e se compadece.

A Resposta de Jesus: Empatia e Poder

A resposta de Jesus ao lamento de Maria não é de censura, mas de profunda empatia e ação poderosa. Em João 11:35, vemos Jesus chorar com Maria, compartilhando sua dor antes de realizar um dos seus milagres mais impactantes: a ressurreição de Lázaro. Este ato não apenas demonstra o poder divino sobre a morte, mas também reforça a mensagem de que Deus está intimamente envolvido em nossas vidas, respondendo a nossos clamores de maneira poderosa e compassiva.

Lições de Maria para Nossa Vida de Oração

  1. Orar em Meio à Dor: Maria nos ensina que a oração pode e deve abranger todos os aspectos da nossa experiência humana, incluindo a dor e o lamento. Pois, a sinceridade em derramar nosso coração perante Deus, mesmo que seja em desespero ou luto, é uma forma poderosa de fé que reconhece Deus como nosso conforto e refúgio.
  2. Esperança na Resposta Divina: Através da história de Maria e Lázaro, somos lembrados de que, mesmo nas situações que parecem irreversíveis, a esperança cristã é sustentada pela certeza do poder e amor de Deus. A ressurreição de Lázaro simboliza a promessa da vitória final sobre a morte e a aflição, garantindo-nos que nossas orações são ouvidas. Ainda que passemos por luto e aflições nesse mundo, a nossa esperança eterna nos garante que Deus irá transformar choro em alegria. Ele certamente enxugará toda a lágrima.
  3. A Intimidade com Jesus: A proximidade de Maria com Jesus nos encoraja a buscar uma relação mais íntima e constante com Ele. Essa intimidade nos permite não apenas aproximar-nos com nossas dores, mas também celebrar e reconhecer Seu poder e Sua presença em todos os aspectos da nossa vida.

Com isso aprendemos que

O encontro de Maria com Jesus nos mostra que a nossa fé abraça tanto a alegria quanto o sofrimento, ensinando-nos a confiar em Deus em todas as circunstâncias. Suas lágrimas e o milagre subsequente ilustram a profundidade da compaixão de Deus e Seu envolvimento direto em nossas vidas. Portanto, que possamos aprender com Maria a trazer a Deus todas as nossas experiências, confiando na Sua infinita capacidade de nos transformar e nos redimir.

Quer se aprofundar sobre esse assunto? Assista a pregação completa:

 

O capítulo 11 de João nos apresenta o milagre da ressurreição de Lázaro. No texto anterior dessa série, exploramos as lições de fé e dependência em Deus que os discípulos aprenderam com Jesus.

No entando, hoje mergulharemos em uma segunda perspectiva deste mesmo acontecimento. Nesta continuação, olharemos para a vida de Marta, uma figura central em João 11, que nos ensina sobre a importância da confiança e paz em tempos de crise. A jornada de Marta, de preocupação a confiança, reflete um caminho que todos nós devemos lutar para trilhar.

Uma Mulher de Fé e Ação0

Marta, frequentemente lembrada por sua hospitalidade e diligência no serviço, desempenha um papel crucial no evangelho de João. Ao enfrentar a morte de seu irmão Lázaro, Marta mostra não apenas seu lado hospitaleiro, mas também uma profunda confiança no poder do Senhor. Sua interação com Jesus revela uma crença inabalável na autoridade de Cristo. Ela afirma, “Senhor, se estivesses aqui, meu irmão não teria morrido. Mas sei que mesmo agora Deus te dará tudo o que pedires a Deus” (João 11:21-22). Esta declaração não apenas sublinha sua fé, mas também nos ensina a importância de levar nossas preocupações a Deus, confiando que Ele está no controle.

A importância da Oração

Mesmo em meio à dor da perda, Marta se volta para Jesus, expressando tanto sua tristeza quanto sua fé. Esse momento de vulnerabilidade e honestidade é um poderoso lembrete da importância da oração como um espaço para diálogo genuíno com Deus. Marta nos ensina que, mesmo quando não entendemos os planos de Deus, podemos confiar em Sua soberania e conversar com Ele até mesmo sobre as nossas dúvidas.

Encontrando Paz em Meio à Tempestade

A interação de Marta com Jesus não apenas fortalece sua fé, mas também traz uma profunda paz interior. Ao reconhecer Jesus como “o Cristo, o Filho de Deus” (João 11:27), Marta nos ensina uma lição valiosa: alcançar uma compreensão mais profunda de quem Jesus é, alterará como enfretaremos os momentos de crise. Este reconhecimento é crucial para que encontremos paz em tempos tumultuados. É uma lembrança de que, ao manter nossos olhos fixos em Cristo e em sua promessa de vida eterna, podemos encontrar serenidade, independentemente das circunstâncias externas.

Conclusão: Aplicando as Lições de Marta

A vida de Marta oferece lições valiosas para nossa própria jornada. Em um mundo cheio de incertezas e desafios, somos chamados a confiar em Deus e a buscar comunicação contínua com Ele através da oração. Assim como Marta, somos encorajados a reconhecer a soberania e o amor de Deus, o que nos permite navegar pelas tempestades da vida com fé e paz.

A jornada de Marta nos mostra que, independentemente das provações que enfrentamos, nossa resposta deve ser de fé, oração e reconhecimento da presença e poder de Deus. Que possamos seguir o exemplo de Marta e buscar a Deus com todo o coração, encontrando paz e propósito mesmo nos momentos mais difíceis.

Quer saber mais sobre o assunto? Assista ao vídeo da pregação completa:

 

Eu amo o Salmo 91. Ele me moldou quando eu era recém-convertida aos 16 anos de idade e continua sendo um ponto de referência para mim nos meus 50 anos. Assim como toda a Bíblia, ele é intemporal.

Iniciando a Jornada: A Curiosidade pelo Salmo 91

Vamos dar uma espiadinha no Salmo 91:1-2: “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo à sombra do Onipotente descansará. Eu direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza e nEle confiarei.”

Primeiramente, abordo este salmo com curiosidade. Desejo saber quem o escreveu e o motivo. Busco compreender as verdades eternas que este salmo carrega e como aplicá-las em minha vida. Uma prática que adoro durante a meditação nas Escrituras é ler devagar, enxergar através do que está escrito e tornar a mensagem pessoal. Substituo meu nome onde é aplicável e faço do versículo um trampolim para minha oração.

Moisés e a Origem do Salmo 91: Uma Liderança Desafiadora

Muitos teólogos afirmam que Moisés escreveu o Salmo 91. Sem a certeza do autor, assumimos que foi Moisés. Como sabido, Moisés liderou seu povo por 40 anos no deserto, em uma jornada que deveria levar apenas 11 dias para ser completada!

Minhas experiências de viagens internacionais com meu marido, Dwayne, ensinaram-me que sair da zona de conforto pode abalar até o adulto mais resiliente. E, convenhamos, a missão de Moisés não foi nada fácil.

Encontrando Força no Lugar Secreto: A Lição de Moisés

Moisés não se via como um líder nato ou um grande comunicador. Ele enfrentou medos e liderou um povo que constantemente reclamava. Em certos momentos, preferiram a escravidão a seguir em frente. Moisés experimentou uma pressão imensa, mas encontrou força na intimidade do relacionamento com o Senhor.

A palavra “habitar” no Salmo 91 significa sentar, permanecer, residir. Moisés achou descanso profundo no Senhor, encontrando seu lar espiritual em meio às adversidades.

O Valor do Lugar Secreto: Encontrando Paz e Refúgio

A natureza do secreto é íntima e privada. Cresci em uma família grande, onde encontrar um lugar secreto era desafiador. Meu refúgio podia ser na curva de um galho de árvore ou sob um cobertor na mesa da cozinha. Meu local favorito era um parque próximo, onde um arbusto formava um esconderijo perfeito.

Mesmo não sendo crente na infância, eu compreendia o valor de um lugar secreto para escapar do caos e encontrar paz.

A Necessidade do Lugar Secreto na Vida Cristã

Agora, como cristã, percebo ainda mais a importância desse refúgio no Senhor. O lugar secreto tornou-se uma necessidade, não um luxo. É onde encontro prazer, segurança e intimidade com Deus. As circunstâncias raramente são ideais para buscar a Deus, mas há doçura em encontrar esse lugar secreto mesmo nas situações mais caóticas.

O lugar secreto transcende um local físico; é um estado de ser. Podemos acessá-lo em qualquer momento, em qualquer circunstância, como uma postura do coração.

O Chamado para Priorizar a Intimidade com Deus

A vida é tremendamente mais desafiadora sem esse refúgio no Senhor. Além de ser um abrigo nas tempestades, é um lugar de descanso profundo e conforto. A solidão com Jesus é revitalizante e insubstituível.

Encorajo a orar o Salmo 91 e buscar verdades sobre Deus. Faça da intimidade com Ele sua prioridade, pois é dali que vem o combustível para enfrentar o mundo caótico diariamente. Você nunca se arrependerá de fazer do Senhor

Encontros Transformadores

O capítulo 11 de João descreve o que é possivelmente um dos milagres mais famosos de Jesus: a ressurreição de Lázaro. Analisando esse texto com um pouco mais de atenção, podemos aprender lições preciosas com cada uma das perspectivas de pessoas encontrando Jesus.

Nas próximas semanas, mergulharemos um pouco mais fundo, e buscaremos aprender o que esse capítulo tem para nos ensinar!

Contexto histórico

O primeiro passo para analisar esse texto é entendermos o contexto histórico. Nesse ponto do ministério de Jesus, ele já estava enfrentando perseguições e ameaças de morte. Retornar à Judeia, significava estar perto daqueles que buscavam apedrejá-lo. No versículo 8, vemos os díscipulos destacando isso para Ele, porém sua resposta deixa claro que, ao contrário do que o discípulos esperavam, os planos Dele não seriam alterados por medo.

O Chamado Para Betânia

A notícia da doença de Lázaro chega a Jesus como um sinal, não de desespero, mas de oportunidade divina. Enquanto os discípulos veem a morte como o fim, Jesus a vê como uma chance para revelar a glória de Deus. Sendo assim, sua decisão de voltar a Betânia, um lugar onde a hostilidade contra Ele crescia, serve como um teste fundamental para a fé dos discípulos. Ele os desafia a seguir para além do medo, rumo a um entendimento mais profundo de vida e ressurreição.

A Coragem de Tomé

Em seguida, a resposta de Tomé ao chamado de Jesus é um momento crucial que ilustra a complexidade do discipulado. “Vamos nós também, para morrermos com ele,” diz Tomé (João 11:16). Esta declaração, longe de ser um sinal de desespero, é um testemunho da sua prontidão para seguir Jesus, independentemente das consequências. Tomé exemplifica o tipo de fé que Jesus busca: uma fé que não hesita mesmo diante da possibilidade de morte.

Ensinamentos de Jesus sobre a Vida Eterna

Ao chegar em Betânia, Jesus não apenas enfrenta a tristeza de Marta e Maria, mas também as eleva para uma compreensão mais elevada da vida e da eternidade. Ele se revela como “a ressurreição e a vida” (João 11:25-26), ensinando que a crença n’Ele transcende a morte física, garantindo uma vida eterna. Esse ensinamento é pivotal, não apenas como consolo para as irmãs de Lázaro, mas como uma lição central para todos os seguidores de Cristo, incluindo nós hoje.

Despertar para uma Nova Fé

A ressurreição de Lázaro é o clímax deste encontro, onde Jesus não só demonstra Seu poder sobre a morte, mas também solidifica a fé dos Seus discípulos. Este milagre serve como um ponto de virada, renovando a fé dos discipulaos, e dando a eles um entendimento de que, com Jesus, cada final pode ser transformado em um novo começo.

Reflexão e Aplicação

Sobretudo, este capítulo nos convida a refletir sobre o nosso próprio encontro com Jesus. Como os discípulos, somos frequentemente chamados a seguir Cristo em circunstâncias que testam nossa fé. Este relato nos desafia a avaliar nossa disposição para caminhar com Jesus, mesmo quando o caminho nos leva através da sombra da morte. A história nos encoraja a abraçar uma fé que não se prende ao que é visto, mas que se lança no que é eterno.

Semelhantemente, ao enfrentarmos nossas próprias “Judéias”, podemos nos inspirar no exemplo dos discípulos que, apesar das dúvidas e medos, escolheram seguir Jesus. Certamente, eles nos mostram que, em cada encontro com Cristo, há uma oportunidade para uma fé mais profunda e uma compreensão mais completa da vida que Ele nos oferece.

Quer ir mais profundo nessa história? Assita ao vídeo completo:

0

 

Estamos na reta final do ano, quase no início de mais 365 dias de oportunidade para amar Jesus por meio da Bíblia, a palavra de Deus. Então, agora é hora de se planejar para o próximo ano ser uma ano onde você possa crescer cada vez mais no conhecimento de Deus.

 

Toda a Bíblia é sobre Cristo

E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.
A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.

Colossenses 3:15,16

 

Toda a Bíblia é uma história sobre um Pai que tem um Filho que lhe deu uma família. E ele prepara uma noiva para esse Filho, e o fim da história é a unidade com esse Amado noivo, assentados à mesa de Deus com Ele. E Paulo escolhe aqui nesse texto chamar a Palavra de Deus como a Palavra de Cristo.

Na verdade, desde Gênesis até Apocalipse, a Bíblia é um compilado de livros que dão testemunho de Jesus. Logo, o objetivo da Bíblia é dar testemunho de Cristo. Então. se você tem o desejo de conhecer mais a Cristo no próximo ano, em outras palavras você está dizendo: “eu quero conhecer mais a Bíblia”.

A Bíblia não é uma palavra humana sobre Deus

Se você acredita que a Bíblia é um palavra humana sobre Deus, quando ela não se ajustar à sua opinião de como as coisas devem ser seguidas, você sentirá que pode discordar, ir contra ela ou até manipulá-la como bem te agradar. Portanto, a Bíblia não é a nossa palavra sobre Deus, pelo contrário, é a Palavra de Deus para nós. A Bíblia é a revelação divina para a humanidade.

Mas por que eu deveria me importar se a Bíblia é a Palavra de Deus para nós e não o contrário? Isso faz toda a diferença, pois se Deus não falou as suas palavras, a Bíblia não passaria de uma inspiração. Pense em grandes promessas da Bíblia tais como  Hebreus 3:5 que diz “nunca te deixarei, nem te desampararei”. Ou então Filipenses 4:19 “o meu Deus suprirá todas as suas necessidades de acordo com as suas riquezas em glória”.

Se essas palavras são, de fato, palavras que vieram da boca de Deus, podemos nos apegar a essas promessas e confiar. Além disso, podemos nos acalmar e saber que Deus está cuidando de mim e de você. Todavia, se essas palavras são humanas, de maneira alguma poderíamos nos apegar a isso com confiança. Isso minaria o fundamento da esperança, pois substitui as promessas de Deus para nós pelos nossos desejos, sem garantia alguma de que eles se cumprirão.

 

A Palavra nos torna fortes

Filhinhos, eu lhes escrevi porque vocês conhecem o Pai. Pais, eu lhes escrevi porque vocês conhecem aquele que é desde o princípio. Jovens, eu lhes escrevi, porque vocês são fortes, e em vocês a Palavra de Deus permanece e vocês venceram o Maligno.

1 João 2:14

A igreja é composta por vários grupos geracionais, e em sua carta, João fala direcionando a cada um deles. Ele fala aos jovens, e vemos que se a Palavra de Deus está habitando em nós, o resultado disso é força – nos tornamos fortes! Em outras palavras João está dizendo: “Jovem, se a palavra está habitando em você, Deus diz que você é forte, é por isso que vocês já venceram o maligno”.

Quando a palavra de Cristo está habitando em nós, isso nos garante que não estamos entregues a desejos ou pensamentos positivos. Além disso, nos garante que estaremos firmados nas promessas de Cristo.

A garantia da vitória do jovem não se dá por causa do pequeno grupo, ou dos líderes e pastores que o acompanham. Na verdade ela se dá porque estes permitiram que a Palavra de Deus habitasse em seus corações, por isso eles venceram o maligno.

 

Vencendo a maldade que cresce nessa geração

Por outro lado, isso não é possível em uma igreja que só oferece entretenimento. Jovens têm força quando incluem a Palavra em suas vidas. Não há nada mais sério que um mergulho na palavra de Deus em suas vidas. Por isso, devemos levar a sério o gastar tempo nas Escrituras. Estamos sendo atacados por todos os lados.

Devemos ir à palavra de Deus com seriedade. Permitir que ela molde nosso caráter, não tratar como uma caixinha de promessas, que tiramos um versículo por dia. Não existe outra saída pra nos. O futuro da nossa igreja, da igreja brasileira, da nossa família, está na palavra de Deus habitar ricamente em nós. Não há outra saída!

 

Qual o segredo para uma vida espiritual?

Se você perguntar pras pessoas hoje qual o segredo pra uma vida espiritual, é possível que você ouça 3 respostas semelhantes a isso aqui:

1- A resposta do meio evangélico:

“A vida espiritual é encontrada nas pessoas do seu redor. Junte-se a nós e tudo vai ficar bem pra você”. Portanto, é nisso que os fariseus acreditavam. Reunir-se em um grupo de pessoas todo domingo pra cantar hinos não é a garantia de uma vida espiritual. A comunhão é uma parte integral da vida espiritual, mas não é a fonte de vida espiritual.

2- A resposta do meio secular:

Se você perguntar qual é a fonte da vida espiritual no meio secular, provavelmente dirão que você precisa encontrar o seu eu. Olhar para dentro de si para encontrar o segredo da vida espiritual saudável. “As respostas estão dentro de você, a fonte da vida está dentro de si”.  

3- A resposta bíblica 

A vida espiritual é encontrada quando a Bíblia está aberta dentro de você. Essa é a fonte de uma espiritualidade saudável. Dessa forma, a comunhão é mais saudável quando a palavra de Deus está no centro. 1 Pedro 1:23  diz: Pois vocês foram regenerados, não de uma semente perecível, mas imperecível”. Ou seja, fomos gerados novamente, de uma semente que não é perecível. Que não morre, que não termina. Fomos regenerados pela palavra de Deus, que vive e permanece. 

 

Dê a Palavra lugar de honra

É muito legal nós seguirmos vários perfis cristãos que nos encorajam e palavras que nos dão ânimo e fé. Portanto, cuide para não substituir a alimentação espiritual e não terceirizar nossa responsabilidade de nos nutrimos das escrituras.

Dessa forma, dê a palavra um lugar de honra e destaque da sua vida. Não dê espaço de honra na sua vida para pessoas que ocupam pouco do seu tempo e espaço na sua vida. Logo, trate a Bíblia em lugar de honra na sua vida. Você gasta tempo com aquilo que lhe dá lugar de honra. Torne a leitura da bíblia algo especial na jornada do ano que vem e desse ano!

As mídias sociais serão a prova naquele dia, diante de Deus, como um testemunho de que somos indesculpáveis se falarmos para o Senhor que não tínhamos tempo para leitura da bíblia. A grande verdade é que escolhemos para o que temos tempo ou não.

 

É hora de planejar

Nesse próximo ano, gaste tempo de comunhão em torno da palavra de Deus. Portanto, faça a palavra de Deus centrada na comunhão. É hora de começarmos a planejar que tipo de ano teremos em 2024. Por isso, não seja a falta da palavra de Deus a frustração no fim do ano.

Por isso, a Bíblia precisa encontrar lugar no nosso dia a dia, na forma que educamos nossos filhos, na forma que respondemos nossas tribulações. Logo, que a palavra de Deus habite ricamente em nós. Vamos para as escrituras, vamos chorar diante da Palavra. Vamos nos alimentar da Bíblia, vamos ler, e talvez não faça sentido, e vamos lendo, talvez pela décima vez o mesmo versículo, e de repente, vai fazer sentido no seu coração. 

Não terceirize a sua responsabilidade de ser nutrido através das Escrituras!

Que Deus te abençoe!

Palavra do Pr. Vinicius Sousa no culto do dia 19 de Novembro de 2023 na Fhop Church

 

Plano de leitura bíblica:

Para te ajudar com seu planejamento de leitura bíblica no próximo ano, preparamos um plano de leitura bíblica que você pode acessar clicando nos links abaixo:

Plano de leitura bíblica 1 ano

Plano de leitura bíblica 5 meses

 

 

 

 

 

 

Em 2 Tessalonicenses 2, vemos uma mensagem poderosa de Paulo que ressoa através dos séculos. Nela, Paulo adverte os irmãos sobre a iminente chegada do anticristo, alertando que o mundo será enganado e envolto em trevas. Dessa forma, Paulo encoraja os irmãos a uma reflexão, chamando-os para perceberem o movimento do reino das trevas. Além disso, ele os dá um encargo: fiquem firmes em Cristo!

Portanto, irmãos, permaneçam firmes e apeguem-se às tradições que lhes foram ensinadas, quer de viva voz, quer por carta nossa. 2 Tessalonicenses 2:15

Igreja, permaneça firme!

Paulo não quer que os irmãos sejam ignorantes sobre esse assunto vital. Ele exorta a igreja a permanecer firme diante do mal que se aproxima, a não retroceder, a conservar as tradições ensinadas oralmente ou pelas cartas. Eles já enfrentavam perseguições naquela época, mas Paulo os lembra de que a obra de Cristo também está ativa no mundo.

Mas o que devemos fazer quando as coisas ao nosso redor piorarem? Paulo ensina a dar graças a Deus pela igreja. Além disso, devemos absorver uma verdade transformadora: Deus nos ama profundamente. As afeições do coração de Deus são para nós, amados irmãos. Deus tem mais do que compaixão e bondade para nós, Ele tem mais do que pena de nós. Além disso, Deus não está alheio ao mal que estava avançando, Ele é tocado e sensibilizado por essa realidade que Paulo descreve. Portanto, o coração daquela igreja era amado pelo Senhor.

Estamos seguros em Cristo

Nos dias sombrios que se aproximam, nossa segurança não repousa na nossa própria força, mas no fato de que Cristo se apodera de nós e nos traz para perto. Ele nos ampara em seu amor. Estamos seguros em Jesus e devemos permanecer firmes em Cristo, confiando em que Ele nos segura com Sua mão poderosa.

Além do mais, Deus nos escolheu para a salvação, para sermos separados e santificados através do Espírito Santo. Somos amados e redimidos pelo evangelho, a boa notícia que nos traz esperança. Assim, nada é mais precioso do que esse evangelho, que é o centro do ministério da igreja e a promessa de Deus para o mundo.

A obra que Deus começou nas nossas vidas será completa. Não se sinta um cidadão de segunda classe por causa das suas dores, não se sinta inferior aos mais santos do povo de Deus.

Deus nos ama

Desse modo, a salvação é uma palavra que abrange toda a Bíblia, desde Gênesis até Apocalipse. Jesus veio ao mundo para nos tornar amados no Senhor, e é por meio do evangelho que Deus se apodera de nós. Portanto, diante de qualquer desafio, olhamos para essa verdade e cravamos nossos pés na rocha que é Cristo. Fiquemos firmes, pois Deus nos ama e nos escolheu. E um dia nos glorificará em Cristo.

Neste mundo incerto, onde as trevas ameaçam, encontramos nosso refúgio seguro em Cristo. Nele, estamos verdadeiramente firmes. Confiemos na promessa divina e permaneçamos inabaláveis. Portanto, considerando isso, fiquem firmes. Olhamos para essa verdade e cravamos os pés na rocha que é Cristo. Fiquem firmes!

 

Texto baseado na palavra do Pr. Vinicius Sousa do culto da Fhop Church do dia 06 de Agosto de 2023

 

Estamos vivendo algo sem precedentes em nossa geração: um movimento global de jejum e oração em prol dos propósitos de Deus pelo povo de Israel. Afinal, a Bíblia deixa evidente que o Senhor tem planos de salvação para seu povo eleito. Sendo assim, como igreja, devemos estar alinhados com o desejo do nosso Senhor de alcançá-los e clamar por salvação.

Durante esse período, nossa sala de oração se engajará nessa causa, e queremos compartilhar o que o Senhor tem falado conosco nesse tempo. Por isso, leia abaixo um cordel pela salvação de Israel, escrito por um dos nossos missionários intercessores, Eliaquim Benedito.

 

Um cordel pela salvação de Israel

I

Já se viu negócio desses

De alguém querer se portar

no estado de Direito

povo eleito se achar?

se hoje existe enxertado

é porque enraizado

Israel já estava lá

 

II

Do alto céu olhou pra Terra

Soberano criador

De Jacó a descendência

quis escolher o Senhor

p’ra si separou um povo

sobre eles um renovo:

sua Palavra, seu penhor

 

III

Passam dias, passam anos

suas histórias nós lembramos

suas palavras nós cantamos

reacendem nosso Amor

Mas dos tempos a mudança

Não anula a Aliança

Que fez o grande feitor

 

IV

Há uma promessa eterna

Feita à grande nação

graciosamente eleita

a semente de Abraão

Deus nunca voltou atrás

nem se esqueceu jamais

do que disse desde então

 

V

Há uma agenda sublime

que precisa ser lembrada

há gloriosa esperança

que deve ser propagada

Breve o Filho virá

e para si encontrará

sua noiva, sua amada

 

VI

Tão somente não caiamos

na possível tentação

de pensar que Israel

do nosso “sim” é o “não”

Segue sendo escolhida

por Deus amada e mantida

salvá-la-á forte mão

 

VII

De tantas nações da terra

o ungido do Senhor

judeu se mostrou ao mundo

o divino Redentor

numa cruz foi imolado

mas ao Céu ressuscitado

ascendeu em esplendor

 

VIII

Se ele disse que sim

Como diremos que não?

Iremos até o fim

Junto à grande comissão

Lembrando de Israel

Elevando a voz ao Céu

Com ardente intercessão

 

IX

O anseio de Deus é o mesmo

por certo não vai mudar

Aos olhos que estão fechados

Ele quer se revelar

Mesmo com o passar dos anos

Ainda está em seus planos

Sua Israel salvar

 

X

Se de fato o conhecemos

logo o obedeceremos

em concordância andaremos

nos deixaremos gastar

nos muros da oração

em constante intercessão

Até que aquela nação

Nosso Deus venha salvar.

 

Eliaquim Benedito, missionário FHOP

Você tem o costume de meditar na palavra? Eu tenho quase certeza de que você que está lendo esse texto conhece a maioria das histórias da Bíblia. Você já deve saber que no princípio, Deus criou todas as coisas. Assim como já deve saber a história de Adão e Eva, sabe como o pecado entrou no mundo, certo?

E a história daquele pastor de ovelhas que derrubou um gigante? Você também deve conhecer os belos salmos e os provérbios, as histórias dos reis e dos profetas. Como também a vida de Jesus na terra e sua morte e ressurreição.

Portanto, não tenho como objetivo aqui fazer uma checklist de todas as histórias e textos bíblicos que você conhece, a questão que tento levantar aqui é: o quanto da Bíblia você conhece profundamente?

Se aprofundando na Bíblia

Quando falamos de conhecer a Palavra de maneira profunda, isso vai muito além de adquirir conhecimento para se tornar “expert” naquilo. É portanto, sobre aprofundar o relacionamento com as Escrituras e Aquele que se faz conhecido por meio de sua Palavra.

A Bíblia nos diz que o homem que tem o seu prazer na Lei do Senhor e nela medita dia e noite será como uma árvore plantada junto a fontes de águas, tal árvore que frutifica no tempo certo e suas folhas jamais caem (Salmos 1). Deste modo, gostaria de trazer aqui três motivos para você começar a meditar na Palavra hoje.

  1. A Palavra nos santifica

“Santifica-os pela verdade, a tua palavra é a verdade” (João 17:17)

Sabe quando você se olha no espelho em um lugar bem iluminado e ali você observa todas as imperfeições do seu rosto que você não gostaria de ver? Eu costumo dizer que quando meditamos na Palavra nos damos conta dos nossos erros e falhas, porque ali está o padrão que devemos seguir. A Bíblia nos mostra onde não estamos, onde deveríamos estar e onde vamos chegar. Em Salmos 119:9 vemos “Como o jovem guardará puro o seu caminho? Vivendo de acordo com a tua Palavra”, e o verso 11 nos diz “Guardei a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti”.

Ademais, ao meditarmos na Palavra estamos contemplando as verdades de quem Deus é, seu caráter perfeito, seus atributos, glória e santidade. E quando meditamos na beleza do Senhor nos tornamos cada vez mais parecidos com Ele, e começamos a caminhar rumo a sua vontade para nós de sermos santos e irrepreensíveis

“Para que aproveis as coisas superiores, a fim de serdes sinceros e irrepreensíveis até o dia de Cristo” (Filipenses 1:10)

 

  1. A Palavra nos sustenta no dia mau

“Este é o consolo da minha angústia: tua promessa me vivifica” Salmos 119:50

Lembro-me de uma estação em minha vida em que as circunstâncias estavam realmente difíceis, o mundo estava no início de uma pandemia e as incertezas e a angústia me rodeavam. Em meio às lágrimas, e antes que pudesse entrar em desespero senti o Espírito Santo soprando em meu coração: “você sabe o final da história!” Neste momento abri a minha Bíblia nas últimas páginas.

Sabe quando você está lendo um livro ou vendo um filme e o personagem principal está em meio a uma situação impossível? Eu não sei você, mas geralmente eu pesquiso logo o que vai acontecer, e isso me deixa mais tranquila. Foi o que eu fiz quando abri a Bíblia nas últimas páginas, eu encontrei a tranquilidade que eu precisava ao me lembrar de que no final:

“Ele enxugará dos olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem lamento, nem dor, porque as primeiras coisas já passaram; O que estava assentado sobre o trono disse: Eu faço novas todas as coisas!” (Apocalipse 21:4-5a)

Portanto, meditar na palavra que é fiel e verdadeira é o que nos sustenta quando as estações difíceis chegam. Além disso, saber que a tribulação leve e passageira produz para nós uma glória de valor incomparável (2 Co. 4:17) nos ajuda a perseverar e a entender os tempos difíceis em uma perspectiva bíblica.

  1. Existe prazer em meditar na Palavra

“Alegro-me tanto no caminho dos teus testemunhos quanto em todas as riquezas” (Salmos 119:14)

Acredito que um dos maiores prazeres é poder ouvir a voz do Senhor. A meditação é uma forma de entrarmos na alegria da presença de Deus, uma vez que em sua presença existem delícias eternas, e vale mais um dia com Ele do que mil outros dias em outro lugar. Quando nos debruçamos sobre as Escrituras, ali está a oportunidade de um encontro com o próprio Deus e não há nada mais prazeroso do que isso.

Logo, quando meditamos na Bíblia, estamos meditando nas palavras de vida eterna, neste lugar descobrimos que essa é a melhor parte assim como Maria que escolheu se assentar aos pés de Jesus e ouvir os seus ensinamentos.

Conclusão

A meditação na Palavra nos leva a um lugar mais profundo no conhecimento de Deus, logo precisamos encontrar o prazer de estar nesse lugar. Quando meditamos e oramos as Escrituras estamos construindo a nossa história com Deus, nesse lugar Ele fala a nosso coração. E uma vez ouvi alguém dizer que a Bíblia é o único livro em que o autor está conosco 24 horas por dia, então se surgir alguma dúvida, basta perguntar!