O amor fraternal nos faz vencer as guerras e os desafios que temos que enfrentar. Isso me faz pensar que Deus tem uma forma estranha de honrar as pessoas. E mesmo que a gente não entenda as circunstâncias podemos sentir Seu amor através delas. Bom, antes que você pense que estou a falar heresias, deixa que eu te conte direitinho como cheguei a tal conclusão.

Nós temos uma amiga que fora diagnosticado com câncer no fim do ano passado. Ela é uma de nossas Missionárias Intercessoras aqui no FHOP (Florianópolis House of Prayer – Casa de Oração em Florianópolis). Também é uma das pessoas mais incríveis que conheço e que se parece com Jesus.

Quando me mudei para Floripa tive um longo período de adaptação, tinham dias que não eram nada fáceis e tudo o que eu desejava fazer era sair correndo. Todas às vezes que eu estava no ápice de minhas aflições, sem entender coisa alguma, clamando por socorro ao Senhor, ela se achegava e perguntava: posso orar por você? Temos muito disso aqui na Sala de Oração, uns orando pelos outros e nos fortalecendo mutuamente.

Como comunidade local, decidimos nos unir ao redor de nossa irmã, supri-la ao menos um pouco em seus desafios emocionais e financeiros. Rolou almoço comunitário e tempo de comunhão, e foi aí que compreendi o quanto Deus é amoroso em nos honrar da forma mais estranha, mesmo através de circunstâncias tão difíceis. Tudo isso me faz pensar no significado de ser Corpo de Cristo. Tudo isso me faz pensar no Amor de Jesus. Quando Ele Se entregou na Cruz, também nos ensinou a nos entregarmos uns pelos outros.

Há uma música antiga a qual cantávamos, diz assim: “Somos corpo e assim bem ajustado, totalmente ligados, unidos, vivendo em amor. Uma família sem qualquer falsidade, vivendo a verdade, expressando a Glória do Senhor. Uma família vivendo o compromisso do grande amor de Cristo. Eu preciso de Ti, querido irmão. Precioso és para mim, querido irmão.”

Talvez, quando olhamos nossas comunidades locais não sintamos que a premissa dessa letra seja uma realidade em nossas igrejas. Talvez consigamos perceber falsidade, divisões e tantos outros problemas. Mas, quero te fazer olhar para a Palavra e o que ela diz em como deve ser o amor.

“O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-se ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. No zelo, não sejais remisso; sede fervorosos de Espírito, servindo ao Senhor; regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração perseverantes; compartilhai as necessidades dos santos…” Romanos 12.9-13a

Quero que saibas, e mesmo que você não acredite, nós precisamos uns dos outros. Precisamos desse amor fraternal. Precisamos voltar a Palavra e insistirmos em praticá-la, não como uma bela ideologia, mas como verdade transformadora. Ah! Meu irmão, não podemos fazer isso sem a graça de Deus, sem o Espírito que nos ajuda em todos os nossos desafios. Pois, o nosso amor pode ser fraco, mas o de Deus, este não. É imensurável, não se pode medi-lo ou explicá-lo.

Algo se dilate dentro de mim, desejo ver a Igreja Brasileira rompendo em amor mais profundo. Que juntos, clamemos por avivamento, que juntos oremos por unidade do Espírito. Que tenhamos um só coração, uma só mente, uma só fé. Que possamos encontrar o amor fraternal que vence todas as guerras.

“Amem de verdade, não de maneira fingida. Evitem o mal ao máximo; apeguem-se ao bem como puderem. Sejam bons amigos, que amam profundamente; não procurem estar em evidência. Não se deixem esgotar: mantenham-se animados e dispostos. Sejam servos vigilantes do Senhor, com uma expectativa alegre. Não desistam em tempos de difíceis, mas orem com fervor. Ajudem os cristãos necessitados e pratiquem a hospitalidade.” Romanos 12.9-13

Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso, Nayla é missionária em tempo integral desde 2011, tendo já servido durante 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão) e quase 2 anos como missionária intercessora no FHOP (Florianópolis House of Prayer). Atualmente dedica uma parte do seu tempo para ensinar artes para crianças em uma ONG em Florianópolis e outra parte do tempo para trabalhar com justiça social, com foco em tráfico humano. Nayla carrega um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ama o mundo artístico e criativo, é apaixonada por missões, mas tem como maior desejo ver o nome de Jesus sendo conhecido entre todos os povos e tribos da Terra.
×
×

Carrinho

Fechar