Existe poder na oração individual, naquela que fazemos no secreto. Muitas vezes ela nasce sem palavras, em nosso coração, e se revela ao mundo exterior na lágrima que escorre livremente.

Ninguém duvida da importância que um clamor sincero tem diante dos ouvidos atentos de Deus. No entanto, desconhecemos numa certa medida, o poder e a importância da oração coletiva.

O coração de Deus se relaciona com nosso coração. Já que, é dele que nascem nossos desejos e anseios mais secretos. Por isso, os ouvidos de Deus são atraídos pelas motivações corretas e pelos desejos sinceros.

Quando isso acontece no coletivo, a unanimidade presente no que almejamos, potencializa a resposta. Existem estudos neurocientíficos recentes que demonstram que quando adoramos em conjunto, nossos corações passam a bater no mesmo ritmo. Existe um poder que nos conecta e que não é visível aos olhos.

Se a ciência comprova que a adoração promove isso em nosso organismo, isto é, que existe unanimidade inclusive no batimento cardíaco enquanto adoramos, o que dizer das orações unânimes que apresentamos diante do Pai? Que tipo de poder existe por trás delas?

O compromisso de Deus com a nossa oração

“Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar. Porque agora escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração todos os dias.” 2 Crônicas 7:15,16

“Que os teus olhos estejam dia e noite abertos sobre este lugar, de que disseste que ali porias o teu nome; para ouvires a oração que o teu servo orar neste lugar.” 2 Crônicas 6:20

Na antiga aliança, que sabemos que é sombra do que se revelou em Jesus, Deus prometeu estar atento a oração feita no lugar de reuniões de seu povo. Inegavelmente, não é diferente na nova aliança. Pelo contrário, Ele ratifica seu compromisso conosco.

“E os ensinava, dizendo: Não está escrito: A minha casa será chamada, por todas as nações, casa de oração?” Marcos 11:17a

Certamente, Deus espera que seu povo ore, que clame, que interceda, que se coloque na brecha. Esse é nosso papel, como corpo dEle, nesta terra. Já que, fomos comissionados pelo próprio Deus à ocupar este lugar.

A importância da unanimidade da oração

Existe orientação na palavra sobre a importância de buscar unanimidade no que fazemos e pedimos. Porquanto, o próprio Deus preocupou-se em respaldar o papel do Filho na Trindade, em sua missão de salvador. Por isso, menciona o testemunho que o Espírito dá a respeito dEle.

“E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água e o sangue; e estes três concordam num. Se recebemos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior; porque o testemunho de Deus é este, que de seu Filho testificou.” 1 João 5:8,9

Igualmente, em Romanos, somos alertados para a importância de viver em unidade. Pressupõe-se, que como corpo, funcionemos em harmonia. Porque nosso papel será efetivo e eficaz quando atentarmos para importância da unidade.

“Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; Sede unânimes entre vós; Romanos 12:15

A igreja precisa crescer no entendimento de como exercer seu papel de sal e luz em meio a uma geração que anela por respostas. Por isso, quando nos reunimos e oramos, em concordância, movemos os céus. O poder necessário para trazer a existência o que não existe é liberado.

Precisamos ser portadores de boas novas. Temos acesso a fonte de toda sabedoria. Que sejamos ousados ao acessar Seu trono em busca de solução para os problemas que nos afligem. Que a igreja cumpra integralmente seu papel no meio da sociedade em que está inserida.

Grace

Grace Wasem, gaúcha, atuou como secretária no mercado de trabalho por 30 anos. Em 2016 vinculou-se ao FHOP como missionária tempo integral. Sonha ver e contribuir para o treinamento de uma noiva apaixonada que clama: Maranatha!

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho

Fechar