Qual foi a última vez que sua zona de conforto foi desafiada?

Quando foi que você sentiu o frio na barriga por não fazer ideia do que viria após dizer sim para algo que Deus te pediu? Qual foi a última vez que sua zona de conforto foi desafiada?

Nesses momentos em que a nossa estabilidade é chacoalhada e somos lançados a milhas de distância do que nos é familiar, é que provamos um pouco do que significa andar por fé e não por vista, confiando que Ele pavimentará o chão para cada novo passo.

Alguns de nós se dão muito bem com mudanças, enquanto outros são desestruturados ao menor sinal de ajuste, mas o fato é que ambos desejam harmonia e clareza na caminhada, e quantas vezes isso já nos faltou

No momento de nos lançarmos tínhamos certeza de que Deus estava nos conduzindo para algo grande e belo, mas agora, após sermos absorvidos pela rotina e pelo comum do dia a dia, nossa bússola parece estar descalibrada, não sabemos continuar prosseguindo e chegamos até mesmo a nos perguntar se ouvimos ou não a voz do Senhor. Nesses momentos há uma tentação real de queremos nos segurar no que é palpável, depositamos nossa confiança em pessoas e situações, e assistimos nossa fé sendo levada de um lado para o outro como uma folha seca.

Deus não apenas gera o ‘sim’ em nosso coração

É Ele quem o sustenta até o fim. Se confiamos Nele para iniciar a jornada porque agora nos apegamos às circunstâncias como se nelas estive nosso refúgio? Ele é o Princípio e o Fim, mas também é o meio, aquele que é suficiente em todas as fases da vida. Nós não estamos sós, nós não precisamos calcular as nossas forças a cada passo. Ele já fez isso no início e sabe que só chegaremos ao fim totalmente apoiados Nele.

O Espírito Santo está  muito mais comprometido com o nosso amadurecimento do que com nosso conforto. Por isso, não serão uma nem duas vezes que Ele nos abalará. Talvez essa não seja a melhor palavra para ouvir no dia de hoje. Mas a verdade é que Ele já tem preparado os próximos desertos, vales e tempestades da nossa vida. E não só isso, Ele também já proveu os oásis, as montanhas e os dias ensolarados para cada um deles. Esse não é um jogo de manipulação, é uma jornada de amadurecimento. E o quanto antes entendermos o propósito de Deus em meio ao processo, menos nos desgastaremos em drama e mais ouviremos a sua mansa e terna voz sussurrando verdades ao nosso coração.

E qual é o fim de tudo?

Qual é o resultado dessas idas e vindas? Um coração parecido com o de Cristo, um amor maduro e genuíno por Ele e uma fé inabalável no Deus que sustenta tudo. Ele é a nossa linha de chegada.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta