Ao nos depararmos com a maldade humana é preciso lembrar que temos a quem recorrer, clamaremos a um Deus que tudo vê. Pois o Senhor não tem prazer na morte do ímpio, mas que o reino da Luz sobressaia sobre qualquer escuridão.   

“… Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, não tenho prazer na morte do perverso, mas em que o perverso se converta do seu caminho e viva…” Ezequiel 33.11

Quando paramos para ver os noticiários, muitas vezes, o nosso coração se torna perplexo diante de tantas perversidades. São tantas notícias ruins, tantas tragédias e tanta maldade da humanidade caída que podemos ficar sem nenhuma esperança. Nesses momentos, nós clamaremos por justiça, pois os que têm sede e fome de justiça serão saciados.

Mas é preciso saber que nem sempre aquilo que chamamos de justiça é, de fato, a mesma justiça de Deus. A justiça de Deus sempre tem um propósito redentor. Não é apenas um castigo ou vingança pelos pecados e maldades cometidos por um ser humano em escuridão e trevas.

Essa é uma questão complexa e precisamos pensar em como não exercer justiça própria e julgamento humano. Em contrapartida, não podemos fechar os nossos olhos e compactuar com a maldade. Precisamos nos levantar em favor da verdade e do amor sendo voz para aqueles que não tem voz, nos lembremos, porém, que Deus não tem prazer na morte do perverso, mas em que o perverso se converta dos seus maus caminhos e viva.

Mas, como exercer justiça com o coração certo? Só existe uma forma de fazermos isso: olhando através dos olhos de Cristo. Você já parou para pensar no significado da cruz? Todas às vezes em que nosso coração se deparar com a maldade diante de nós, com os crimes hediondos e com o abuso, temos que olhar para o sacrifício de Jesus na cruz, Ele verá o fruto do seu penoso trabalho e ficará satisfeito com o seu conhecimento, o Servo Justo, justificará a muitos. Isso não significa que liberar perdão não seja dolorido e desafiador, também não significa que temos que abrir as portas das cadeias e deixar homens maus soltos por aí em nome da graça. Mas, significa que nossa motivação estará alinhada com o coração de Deus.

Lembra da mulher pega em adultério e de como Jesus lhe estendeu as mãos e lhe disse: “onde estão os teus acusadores? Vá e não peques mais”. Precisamos clamar por justiça, mas precisamos fazer isso com a motivação certa e com a perspectiva do coração de Deus. Que sua esperança se renove n’Ele e que Ele nos dê sabedoria diante desse mundo mal, para exercermos justiça verdadeira e amor proposital.

“Pois nada está oculto, senão para ser manifesto; e nada se faz escondido, se não para ser revelado. ” “…. Com a medida com que tiverdes medido vos medirão também, e ainda se vos acrescentará. ” Marcos 4.22 e 24

Sim, diante deste mundo mal, nós levantaremos as nossas vozes e clamaremos por justiça. Clamaremos a um Deus que tudo vê e Ele prontamente nos responderá.

Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso, Nayla é missionária em tempo integral desde 2011, tendo já servido durante 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão) e quase 2 anos como missionária intercessora no FHOP (Florianópolis House of Prayer). Atualmente dedica uma parte do seu tempo para ensinar artes para crianças em uma ONG em Florianópolis e outra parte do tempo para trabalhar com justiça social, com foco em tráfico humano. Nayla carrega um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ama o mundo artístico e criativo, é apaixonada por missões, mas tem como maior desejo ver o nome de Jesus sendo conhecido entre todos os povos e tribos da Terra.
×
×

Carrinho

Fechar