Tudo bem que alguns vão dizer que Deus não existe e  que somos resultado de uma composição química sem propósito e significado. Mas para aqueles que têm como base de vida a fé cristã, fomos feitos à imagem e semelhança de Deus. A Bíblia traz explicações essenciais à compreensão e consciência da vida, ao passo que a vida vinculada a Cristo passa a ter um significado ainda maior. Para ela, basta ser humano, mesmo da pior espécie, todos fomos criados por Deus.

Deus designou a humanidade com características divinas que conservam a vida humana. Não somente a ética e a moral, mas reações químicas e físicas as quais estamos suscetíveis. Elas fazem parte de toda a ciência e composição da vida humana e natural. Precisamos mais do que descanso e nos alimentar bem. Precisamos de Deus, e isso também constitui a vida humana.

Não somos parcialmente religiosos. Somos seres religiosos que acreditam e depositam fé, seja em coisas criadas ou divinas. O problema central que encontramos é o pecado. Ele é degenerativo, é uma raiz amarga da qual somos todos afetados.

A o que a imagem e semelhança submete as nossas vidas?

A vida humana é essencialmente constituída pela semelhança à trindade e pela graça divina. A lei natural humana, comentada por C. S. Lewis em Cristianismo puro e simples, a que estamos fadados, governa implicitamente nosso senso de certo e errado. Ela é a razão de termos uma conduta moral que nos permite respeitar e amar o próximo, que provém desta semelhança. A sociedade seria extinta se no mínimo não tolerássemos uns aos outros.

Estamos cientes que vivemos um enigma humano. G. K. Chesterton comenta sobre isso em seu livro Ortodoxia. Ao mesmo tempo em que nos sentimos em casa neste mundo vivemos assombrados com ele. E nisto consiste esta sujeição. A imagem e semelhança conserva a vida humana, a vida social, o meio ambiente, de modo a buscarmos bondade, justiça, significado, sentido e propósito para esta vida, enquanto aprendemos a lidar com suas tragédias, com nossos defeitos e com o próximo.

Não somos seres humanos dotados de razão à toa. Somos planejados à imagem e semelhança de Deus para cumprirmos o mandato cultural de preservarmos a vida humana e a natureza. Mas a vida humana não diz respeito a si mesmo somente, porém isso é prosa para uma outra oportunidade.

Veremos agora um pouco de como a vontade de Deus afeta a nossa vida. Ele tem o propósito de santificar a humanidade para que ela tenha características justas como as dele.

A nossa obediência e santificação testemunham a santidade de Deus

O sacrifício de Cristo é a resposta para a santificação do homem e a purificação que o livra de suas concupiscências.

“Sede santos, porque eu sou santo.” 1 Pedro 1:16

Tudo bem que a santificação nos torna pessoas melhores, mas o propósito dela não é apenas nos transformar. É amadurecer a salvação que recebemos pela fé. A santificação nos leva a amar Jesus pelo que ele é. Porque, afinal de contas, nós é que precisamos de Deus, e não Deus que precisa de nós.

Estamos diante da decisão que diz respeito aos nossos destinos eternos

A semelhança a Deus nos difere de toda a criação. Mesmo nem todos acreditando em Deus, elas carregam a imago dei. E hoje, infelizmente, imprimimos uma imagem distorcida. Entretanto, a missão de Jesus foi resgatar essa semelhança, nos trazer a consciência de um Deus interessado na humanidade e levá-la a conhecê-lo. Hoje, podemos ser semelhantes a Jesus e encontrar propósito e sentido nele.

É fato, todos nós precisamos de Deus. E tomamos consciência disso, quando somos confrontados em nossa maneira vazia de viver (1 Pedro 1: 18).

O amor de Deus alcançou toda a humanidade e não somente as pessoas mais corretas. Nem as mais corretas podem salvar-se. Mas quando nos damos conta de que o maior desafio apresentado diante de nós não é aquilo que podemos conquistar neste mundo nem o que podemos fazer, mas o quanto estamos dispostos a acreditar em Cristo, estaremos diante de uma verdade confrontadora, rendidos diante da cruz. E saberemos que ela diz respeito a vida que levamos e a esperança eterna que não somos capazes de conquistar.

Miriã Oliveira

Miriã Oliveira é missionária intercessora em tempo integral na casa de oração Fhop. Atua especificamente no departamento de teologia, Escola de Teologia e Ministério. Advogada. Escritora. Ama crescer no conhecimento das verdades de Cristo e comunicá-las a fim de ajudar os jovens a serem convictos da sua fé e não se corromper diante da cultura.

Deixe uma resposta

×

Carrinho