O que você pensa sobre ser cristão de verdade? Por acaso já aconteceu de perguntarem algo a você e, por vergonha ou medo, você não deu uma resposta verdadeira (aquilo que você realmente pensa ou queria dizer)? Mas deu uma resposta para agradar as pessoas ou para não ser julgado? Isso provavelmente é resultado do politicamente correto que invadiu as igrejas e afetou o cristianismo. Já tive a sensação de que precisaria ser perfeita. Que se eu falasse o que realmente sinto e penso, a Igreja não me aceitaria. Entendi com o tempo que Deus não espera perfeição.

A era das redes sociais

Te dá uma vontade de ser verdadeiro, mas aí você mantém a máscara? Na era do youtube e instagram, os mais politicamente corretos são ovacionados. Vivemos numa época em que falamos sobre quem deveríamos ser, mas infelizmente falamos pouco sobre quem realmente somos. Por acaso você já viu alguém dando sua cara a tapa ao demostrar quem realmente é, e não aquilo que esperava realmente ser? São raras exceções. Não é comum falar da natureza humana, mas é bem
provável sermos tentados a falar sobre uma natureza idealizada.

Pena que isso também afeta a nós cristãos. Pena que isso torna mais pesada a bagagem da perfeição cristã. Pena que isso nos impede de ver quem somos e reconhecer nossas fraquezas. Pena que nós cristãos continuamos usando máscaras. Pena que não conseguimos ser vulneráveis. Quando paro para ler e meditar na Bíblia, percebo que esse livro nos instiga a colocar para fora toda a nossa sujeira, porque somente após a consciência da posição que estamos – de pecadores – podemos analisar e enxergar as verdades antes escondidas pelas crostas do politicamente correto. O que lemos na Bíblia não são ensinos que amaciam nosso ego, mas que nos confrontam o tempo todo.

Utopia da perfeição

A Bíblia é repleta de histórias como as que vemos hoje, de homens que viviam na utopia de perfeição e aqueles que viviam sua realidade imperfeita. Do lado da perfeição estão os fariseus, que chegaram a ponto de seguir regras só para manterem a aparência, mas esqueceram que ter um coração sincero e arrependido era mais importante. Jesus condenou esse comportamento deles chamando-os de hipócritas e alertando-os sobre parecem justos por fora. Mas por dentro estarem cheios de maldade.

Do lado imperfeito, temos os exemplos de profetas como João Batista quando diz “não sou digno de desamarrar as correias de sua sandália, Jesus” ou do apóstolo Paulo ao dizer que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais ele era o pior. Essas afirmações são carregadas de autenticidade, de humildade em reconhecer sua humanidade caída, de consciência sobre a necessidade da graça e principalmente de coragem em se fazer vulnerável. É importante pensar que João Batista estava num contexto em que haviam várias pessoas com ele, e ainda assim foi ousado em expor quem realmente era. Indigno. Ele venceu a tentação de falar sobre quem ele deveria ou desejaria ser. Pensar nisso me leva a crer que o politicamente correto contaminou o cristianismo. É um fardo ter que lidar com pessoas perfeitas.

Cristianismo verdadeiro

Eu quero viver o cristianismo verdadeiro, a mensagem do único Homem Perfeito que morreu pela humanidade caída. É como se eu precisasse ver e viver essa mensagem. A verdade que nós ainda não somos quem deveríamos ser, mas tentamos viver como se já estivéssemos glorificados.

É intrigante ver um youtuber cristão dizendo que ele não espera nada do homem, que suas recompensas estão somente em Deus. É intrigante também ver uma blogueira cristã falando sobre ser manso e vencer o orgulho. É intrigante ver um cristão falando sobre sua vida de oração nível hard e como ele ignorou escolhas legítimas. Sabe por que isso soa tão intrigante? Porque parece tão simples e fácil. Mas ao mesmo tempo causa um sentimento de impotência diante das fraquezas e incertezas. É difícil ser cristão numa era em que ser quem ainda somos parece o maior pecado de todos. Sinto falta de ver cristãos compartilhando suas fraquezas e sobre o quanto tem sido difícil ler a Palavra e conseguir praticar. Ou o quanto tem sido duro descobrir que ainda existem tantos lugares obscuros para a Luz de Jesus clarear.

Sinto falta de conversar com cristãos que dão a cara a tapa e dizem: “eu preciso vencer a inveja”, “eu ainda mato as pessoas no meu coração”, “quando eu canto tento não receber a glória que é de Deus”, “não sei lidar com o silêncio de Deus”, ou “eu tenho pouca fé”. Sinto falta de saber que existem pessoas como eu, aguardando ser quem realmente Deus criou para ser, mas que ainda sabe… Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior.

A resposta de Deus

Deus não espera uma resposta sua dizendo que é aquilo que Ele espera que você fosse. Ele sonda os nossos corações e sabe quem somos por mais que digamos ou tentemos ser quem deveríamos ser e ainda não somos. E lembra-se sempre, isso não faz Ele o amar menos.

Este post tem um comentário

  1. Obrigado por escreverem isto,a palavra me revigora a cada dia!

Deixe uma resposta

×

Carrinho