À medida que o Espírito Santo opera em nossas vidas, nosso caráter muda. Onde antes alimentávamos de sentimentos de raiva, mágoa, egoísmo, crueldade, agora possuímos amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Frequentemente ouvimos falar sobre o fruto do Espírito escrito no livro de Gálatas. Esse fruto, que produz o bom caráter cristão dia após dia na jornada, tem muitas características do caráter do próprio Deus. Em suma, ele é a consequência de uma vida de caminhada com o Espírito Santo e, assim, é impossível tê-lo por vontade própria, com a força do braço. 

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5:22  

Neste texto, vamos aprofundar sobre o conceito de benignidade, que significa também compaixão, doçura, amparo. Assim, bondade é virtude e santidade em ação. Além disso, benignidade é ter um coração bondoso em que ama o próximo como a si mesmo e se preocupa com o outro, o tratando com gentileza. Aqueles que buscam sempre amar e fazer o bem. Afinal, a amabilidade de Deus que flui através da sua vida é fruto gerado pelo Espírito Santo.

Todavia, quando olhamos para a criação, percebemos o quanto Deus é bondoso em tudo o que faz. Assim também, percebemos que cada detalhe da natureza mostra sua misericórdia conosco. 

Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Efésios 2:5-7  

Benignidade cristã 

Bondade cristã é aquela que se manifesta onde a natureza humana não teria capacidade de atuar. Portanto, benignidade é a marca de quem busca ser como Jesus e é o fruto de quem anda com o Espírito Santo. Quantas vezes já ouvimos sobre dar a outra face? Mas, na prática, quantas vezes já o fizemos? Benignidade cristã é, acima de tudo,  ter a capacidade de amar e perdoar os inimigos. É também agir com o bem quando naturalmente agiríamos com o mal.

Bendizei aos que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, não lhe negues também a túnica. Lucas 6.28-29

Sede, pois, misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso. Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão. Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. Lucas 6:36-38  

Benignidade comum

É comum ouvirmos e até lembrarmos do quanto algumas pessoas são generosas, caridosas e cuidam daqueles que precisam. O nome de alguém específico veio em sua mente neste momento? Pessoas que não conhecem a Cristo, mas cuidam dos que mais precisam e muitas vezes são modelos em nossa sociedade. São vistas como referência e exemplos a serem seguidos. Mas, lembre-se, para se ter um coração realmente generoso e viver pelo fruto da benignidade é preciso do Espírito Santo.

Tiago 1:17 diz:

“Toda coisa boa dada e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes”.

Nosso modelo é Jesus

Deus decidiu ser bom independente do quão falho somos. Em suma, não merecíamos nada, absolutamente nada dEle. Mas mesmo assim Ele entregou seu filho por amor a nós.

E esse é o nosso maior exemplo: Jesus. Assim, Ele é a nossa inspiração. Podemos orar e pedir para olhar para o nosso próximo como Ele olha. Podemos e devemos seguir o exemplo de Jesus. Então, decida ser como Ele é. E quando tiver dúvida, sempre o pergunte o que Ele faria em cada situação.

Que Deus te abençoe!

Este post tem um comentário

  1. Daiane

    Aleluia!
    Maravilhoso. 💛

Deixe uma resposta