O início da missão é em Cristo

Se vamos conversar sobre missões, precisamos entender que primeiramente a missão é de Deus, o início da missão é em Cristo. E claro, ele não depende de nós, mas Deus nos chama, nos convoca, por assim dizer, a participar e a fazer parte dessa missão.

A Bíblia é cheia de passagens onde podemos perceber que o desejo de Deus é ser conhecido e adorado em todas as nações. Veja algumas delas:

“Anunciai entre as nações a sua glória, entre todos os povos as suas maravilhas” (Sl 96.3); “Render-te-ei graças entre os povos… cantar-te-ei louvores entre as nações” (Sl 108.3); “Louvai ao Senhor vós todos os gentios, louvai todos os povos” (Sl 117.1);“Disse mais: Pouco é que sejas o meu servo, para restaurares as tribos de Jacó, e tornares a trazer os preservados de Israel; também te dei para luz dos gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra” (Is 49:6).

O início da Missão é em Cristo

Portanto, quando Jesus ressuscita e vem passar um tempo com seus discípulos para instruí-los acerca da continuidade de sua obra, nós o vemos comissionando eles a irem e a fazerem discípulos. O início da missão é então em Cristo. Jesus fala que toda a autoridade foi concedida a Ele, no céu e na terra. Quando alguém com autoridade transfere essa mesma autoridade à outra pessoa, é como se essa pessoa agora fosse um embaixador, um emissário, certo? Foi isso que Jesus fez aos seus discípulos, deu uma autoridade de impacto, de relevância.

Na continuidade da narrativa bíblica, os apóstolos vão agora formar essa comunidade de testemunhas que se chamará igreja. Jesus disse a eles: “E sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra.” (At 1:8). Eu e você estamos nessa continuidade de Atos. E perceba que Jesus começa falando para eles serem testemunhas primeiramente em Jerusalém, ou seja, onde você está agora, os próximos a você e a nossa redondeza.

O Início da missão é em Cristo e a nossa missão?

Logo, se olharmos de forma ampla para as escrituras, presumivelmente os chamados mais destacadas sejam: amar a Deus, amar ao próximo e fazer discípulos. Então, todos nós, redimidos em Cristo temos esse chamado que partiu Dele mesmo. Nosso chamado e missão são para salvação, santidade, comunhão e missão: ”E vocês também estão entre os chamados para pertencerem a Jesus Cristo. A todos os que em Roma são amados de Deus e chamados para serem santos: A vocês, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo”. (Romanos 1:6-7).

Fomos salvos em Cristo para fazer a diferença, ser sal e luz e dentre todas as vocações que temos, a maior é glorificar a Deus.Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto, Mas que se manifestou agora, e se notificou pelas Escrituras dos profetas, segundo o mandamento do Deus eterno, a todas as nações para obediência da fé; Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém. (Romanos 16:25-27)

Chamado Específico

Ao passo que salvação e Missão fazem parte do nosso chamado, existem aqueles que terão um convite específico, uma função específica. Lembram de Abraão, de Moisés, de Samuel, de Jeremias, de Maria mãe de Jesus? Nesse sentido, esses são os chamados específicos, como Paulo e Barnabé, chamados para levarem as boas novas aos gentios. Penso que esse chamado específico tem a ver com os dons distribuídos por Cristo na igreja por meio do Espírito Santo.

Esse chamado ou função específica não são para superioridade de ninguém, ou para diferenciação, na verdade, se observarmos, aqueles que assim são chamados, são chamados primeiramente para servir. Observe como Paulo se apresenta em Romanos 1:1 “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus”. E como bem sabemos, Deus separou Paulo para esse chamado específico, pois toda sua preparação anterior ao chamado já era obra dele. Toda a formação farisaica de Paulo foi importante para o encontro com Jesus no caminho de Damasco. O início da missão foi em Cristo mas ele nos chama a continuá-la.

A Questão Geográfica

Outro ponto importante que precisamos observar é que nossa vocação específica não tem a ver com a questão geográfica. Uma pessoa que tem vocação para ser mestre, ensinará as escrituras por onde estiver, na sua língua ou em outra, assim, da mesma forma, um pastor pastoreará aonde o Senhor o conduzir. Vocação é o que fazemos e não aonde iremos. Paulo foi chamado a levar as boas novas aos gentios, mas Deus o conduziu para a Antioquia, Chipre, Icônio, Macedônia, depois o Espírito Santo o impediu de ir a Ásia e depois o Senhor o direciona para Roma. Vocês percebem? O lugar, a questão geográfica pode mudar, conforme Deus conduzir. É claro que com isso duas coisas são necessárias para quem se sente vocacionado: discernimento e perseverança. Discernimento para saber qual é o próximo passo e perseverança para jamais desistir.

Discernimento e Perseverança

O discernimento nos ajuda também na dúvida básica que os cristãos têm: meu chamado é o chamado que todo cristão tem ou é um chamado ministerial específico? Peça a Deus discernimento justamente para entender isso. Em primeiro lugar, esse discernimento vem na Palavra, entendendo o que a Bíblia diz sobre vocação. Em segundo lugar, se há convicção desse chamado específico, é necessário você primeiro ser útil em sua igreja local. O reconhecimento vem também das pessoas próximas a você, da sua liderança, ou seja, o reconhecimento de que há um chamado, uma vocação específica é também visto pela própria igreja da qual você faz parte. Ou talvez, o próximo passo será seguir um treinamento teológico ou em um campo missionário.

E a perseverança, que é necessária, pois a vocação é como uma maratona que terá dias bons e dias maus. Será necessário manter os olhos em Cristo e perseverar como Paulo nos orienta em Efésios 4:12-13 “com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo”.

Passos Práticos

  • Comece orando e buscando a direção de Deus – ore e contribua nos projetos da igreja. As coisas do reino de Deus não funcionam pelo poder humano. Existem situações que não acontecerão, tem portas que só se abrirão quando oramos. Deus nos usa por meio de nossas orações. Deus quis assim, por uma razão misteriosa e sublime. Sim, Deus resolveu fazer a obra do seu reino por meio das nossas vidas, das nossas orações e contribuições;
  • Saia do anonimato e de uma postura de quem não tem chamado. Envolva-se nos projetos da sua igreja local, sirva e se envolva. Sirva por meio de seus dons. Charles Spurgeon disse: “nada é mais difícil do que se mostrar fiel aos de perto que bem lhe conhecem”;
  • Viaje para lugares de realidade bem diferente da sua hoje para sentir a missão no coração. Ao viajar para o interior do Piauí, para os extremos da África, talvez fará seu coração querer realmente se envolver mais intencionalmente, ou não. Ao viajar hoje, por exemplo, para a Europa, talvez você percebe a frieza nos corações e o distanciamento deles de Deus e assim queira de alguma forma, ser testemunha de Cristo em lugares onde Deus não tem mais lugar nas vidas das pessoas.

O Início da missão é em Cristo – entendendo o papel na Missão

Resumindo, o que Deus quer de fato é que entendamos o que significa a realidade dessa missão, nós existimos para afetar o mundo lá fora. A igreja existe para o mundo. Cristo deixou na terra apenas o seu corpo, a igreja e é Cristo através da igreja que faz a diferença no mundo. Todos nós somos chamados para a missão dele, somos chamados a servir o corpo. Não há categorias, então saiba, ninguém está no camarote apenas assistindo, pois todos estão envolvidos de alguma forma. Dra. Frances Popovich dizia queDeus usa tudo aquilo que aprendemos, sendo assim, precisamos aprender tudo o que for possível e nos preparar bem para que o nome de Deus seja espalhado por todas as nações.

 

*Sugestão de leitura: “Vocacionados” de Ronaldo Lidório.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Este post tem um comentário

Deixe um comentário