Andar em mansidão ou humildade não é o mesmo que o temperamento de timidez da personalidade. Lembra? Que em um texto anterior mencionei sobre isso. Trouxe também que mansidão não é enraizada no temor dos homens e na baixa autoestima.

Mansidão é ter o poder sobre nosso egoísmo. Por natureza, pensamos que merecemos um tratamento melhor de Deus e das pessoas em nossas circunstâncias. E sejamos vulneráveis nesse momento, muitas vezes agimos com motivações erradas. E mais uma vez reforço, mansidão é ter o poder sobre o nosso egoísmo.

Os mansos desejam que Jesus seja a fonte e o dono de tudo o que possuem. Por isso, eles são gratos pelo que têm e usam tudo com um espírito de serviço e com generosidade. Eu realmente gosto e desejo ter um coração que anda em mansidão.

Sabemos que por natureza, somos preocupados com nós mesmos. E temos o senso de que merecemos mais honra, dinheiro e favor do que recebemos. Isso resulta num senso de merecimento que reclama, exige mais privilégios. E honra por conta de como estimamos nossos dons, realizações, dedicação, ou posição.

Precisamos entender que um coração manso é algo necessário. Agora se enxergarmos que tudo o que temos recebido é um dom da graça, então não responderemos com uma atitude orgulhosa ou presunçosa. Se posicionarmos o nosso coração de uma forma graciosa, de mordomia a Deus. Praticando um espírito de serviço. Andaremos em mansidão.

“Pois, quem te faz diferente dos demais? E o que tens que não tenhais recebido? E, se o recebeste, por que te orgulhas, como se não o tivesse recebido? 1 Coríntios 4:7

O ponto desse texto hoje é de que mesmo com uma natureza egoísta, podemos sim, caminhar com um coração humilde. Um coração prestador de gentilezas e generosidade. Mesmo que em nosso íntimo possamos pensar: “Como alguém ousa ignorar ou recusar alguém tão dotado, dedicado e merecedor como eu?”. Mesmo com orgulho e ego latente, podemos e devemos desenvolver uma vida igual a de Cristo.

Os mansos sabem que merecem a disciplina de Deus. Que merecem ser moldados pelo Senhor. Sabem que qualquer medida de bênção que Ele lhes concedeu diante das pessoas são para serem cultivadas no secreto.

Os mansos abraçam tarefas importantes ou tarefas braçais com gratidão.  Sabendo que estão obtendo mais do que merecem de Deus. Os humildes se recusam a manipular ou exercer pressão nas pessoas para que elas os promovam.

Se por estarmos em Cristo, nós temos alguma motivação, alguma exortação de amor, alguma comunhão no Espírito, alguma profunda afeição e compaixão, completem a minha alegria, tendo o mesmo modo de pensar, o mesmo amor, um só espírito e uma só atitude. Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros. Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz!” Filipenses 2:1-8

Os mansos encontram sua identidade em Cristo Jesus e andam como Ele andou.

Elohana Negreiros

Vinda das terras gaúchas, Elô é hoje missionária em tempo integral em Florianópolis. Ama as escrituras, e, assim como Davi, deseja contemplar a beleza de Deus e tem experimentado a grandiosidade de viver para a audiência de apenas um. Ela tem colocado todas as suas energias no cultivar de um relacionamento profundo Com o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
×
×

Carrinho

Fechar