Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.
1 João 4:16

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.”  I Co. 13:13

Proponho uma reflexão entre a junção destes dois versículos tão conhecidos. Se Deus é amor, e não existe nenhum outro atributo que O represente melhor, ou que devamos perseguir mais do que este aspecto, com o que isso se parece na prática?

O amor nunca se revela na passividade ou indiferença. Ele precisa ser expressado de forma prática, buscando suprir uma lacuna, falta ou ausência de algo ou alguém.

Em geral, é melhor praticado e experimentado sem a utilização de palavras, embora elas possam ser utilizadas pra expressá-lo muitas vezes.

É no silêncio e anonimato que o praticamos de forma mais verdadeira e eficiente. Seja através de uma oração que fazemos em favor de uma necessidade alheia, ou quando abrimos mão de nosso conforto pra ajudar alguém, ou ainda quando escolhemos a privação em prol do suprimento de outrem.

Ao contrário do que alguns pensam, envolve confronto, envolve “poda”. É demonstrado através de disciplina, assim como no abraço.

O modelo foi estabelecido em Jesus e certamente é preciso o amor de Deus para amar a Deus e ao próximo. E porque fomos criados a sua imagem e semelhança, somos sim capazes de amar e precisamos ser amados.

Nascemos com a necessidade de experimentá-lo. Nossas entranhas clamam por isso e só somos completos quando amamos e somos amados.

O amor é uma pessoa: Jesus.

Quando finalmente e definitivamente entendermos que isso é o que importa, tudo mais perderá o sentido e o valor. Começaremos a entender que o eterno em geral é invisível aos olhos. Aquilo que permanece está escondido em oportunidades diárias que temos de amar.

Um dia estaremos todos diante dos olhos dAquele que nos conhece por inteiro. Neste dia, apenas uma pergunta será feita: Você aprendeu a amar?

Que resposta daremos a esta pergunta? Reavaliemos nossa rotina, nossas prioridades, a forma como utilizamos nossos recursos e nosso tempo. Antecipadamente permitamos que o Espírito Santo sonde nossos corações e mentes e encontre a resposta pra esta única pergunta.

Que sejamos conhecidos pelo amor, e que todo resto seja o resto.

Grace

Grace Wasem, gaúcha, atuou como secretária no mercado de trabalho por 30 anos. Em 2016 vinculou-se ao FHOP como missionária tempo integral. Sonha ver e contribuir para o treinamento de uma noiva apaixonada que clama: Maranatha!

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho

Fechar