“… a fé sem as obras é morta.” Tiago 2:20

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” Hebreus 11.6

Quem, como eu, se emocionou e sentiu-se desafiado ao assistir o filme “Faith like Potatoes”? Em português recebeu o título “Fazendeiro de Deus”. É a biografia de Angus Buchan, um sul-africano, que ousou crer em Deus e plantou batatas em uma terra seca. Na última cena ele segura uma batata e diz que nossa fé deve ser tão palpável como ela. Esta cena nunca mais saiu de minha mente.

Os heróis da fé da galeria de Hebreus 11, bem como os de nossos dias, são seres humanos como nós. Eles são feitos da mesma matéria-prima e com desafios diários semelhantes aos nossos. Coincidentemente, Angus Buchan exerce ministério na África, que é um continente tão desafiador quanto o Brasil. Semelhantemente, lá eles têm problemas de infraestrutura, economia, escassez, pobreza, injustiça social dentre outros.

O que, então, nos distancia deles no que se refere a experimentar milagres diários? Já que, provisão, cura, libertação, ressurreição de mortos, multiplicação e outros tantos milagres também estão disponíveis para nós?

Resgatando a confiança na caminhada

Infelizmente, de uma forma geral, a Igreja se distanciou desta fé simples, e falo por mim mesma. Portanto, fé é um dom de Deus que precisa amadurecer através da prática, assim como qualquer musculatura precisa ser exercitada para crescer e se fortalecer.

É a revelação de quem Ele é, do poder que possui em Suas mãos e do amor que tem por nós, que nos leva a confiar e a viver por fé. Somos candidatos a uma vida de fé quando dizemos SIM para Jesus, mas muitos de nós perdemos a oportunidade de desenvolver nossa fé nEle porque simplesmente não ousamos.

Jesus, o autor e consumador da fé

A bíblia nos diz que Jesus é o autor e consumador de nossa fé (Hebreus 12.2). Por isso, quando cremos verdadeiramente, estamos nos movendo sobre algo que origina-se em Deus. É preciso ter a fé de Deus para exercer nossa fé. É um aspecto do caráter e da essência do próprio Deus que se incorpora ao nosso DNA à medida que o exercitamos.

Ele busca oportunidades de se relacionar conosco. Porque não fomos criados para viver uma vida independente do Pai. Já que, nascemos para depender dEle. Ele se agrada quando nos aproximamos com essa fé simples que move Seu coração e atrai Seu olhar em nossa direção.

Portanto, decidir crer é nossa parte. A dEle é repartir conosco de Sua própria essência sempre que estamos dispostos a abrir mão da lógica humana e das circunstâncias para solução de nossos problemas. Inegavelmente, aquele Jesus que multiplicou pães e ressuscitou mortos vive dentro de nós. Essa é uma realidade que precisamos acessar.

Semelhantemente, o Espírito que ressuscitou Jesus de entre os mortos não perdeu poder. Ele foi derramado em pentecostes e a promessa de Jesus é que Ele seria nosso consolador e que estaria sempre conosco (Jo. 14.26).

Saindo da zona de conforto

Imaginar que a vida cristã sem crer é possível, é ignorar o fundamento da obra da Cruz. Crer em Jesus, em Sua morte e ressurreição constitui a porta de entrada na jornada. Cada trecho do caminho exigirá medidas maiores de fé e dependência.

Correr riscos e voluntariamente buscar uma vida de renúncia e entrega é a receita para todo discípulo que deseja seguir os passos do Mestre. Permanecer em nossa zona de conforto não é uma opção para os que desejam andar como Ele andou.

“Se você está à procura de uma religião que o deixe confortável, definitivamente eu não lhe aconselharia o cristianismo.” C.S. Lewis

Grace

Grace Wasem, gaúcha, atuou como secretária no mercado de trabalho por 30 anos. Em 2016 vinculou-se ao FHOP como missionária tempo integral. Sonha ver e contribuir para o treinamento de uma noiva apaixonada que clama: Maranatha!

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho

Fechar