O lugar do lamento na vida cristã

Como falar com Deus quando as coisas não estão bem? Quando o que temos não são palavras de louvor e gratidão devemos nos calar diante de Deus? Deus vai se irar e nos rejeitar se questionarmos e reclamarmos com ele sobre as nossas dores? Existe um lugar de lamento na vida cristã?

A BOA NOTÍCIA

A Bíblia inteira é uma boa notícia! O evangelho preenche as Escrituras de capa a capa, porque é a verdade de Deus. O oferecimento de salvação e redenção de Deus ao seu povo durante toda a bíblia nos ensina a como viver a vida como um todo, inclusive nos ensina a sofrer. 

Sem dúvida a vida que sonhamos é controlada, calma e sem choro, porém habitamos em um mundo onde Deus não governa plenamente. Isso nos diz que estamos expostos ao sofrimento, à injustiça, à dor e ao pecado (a raiz de todo o mal). Sendo assim a vida de oração nem sempre se figura em um lugar pacífico de conversa tenra, equilibrada e romântica com Deus. E saiba que Ele tem plena consciência disso, nada o surpreende.

Davi em vários salmos nos expõe seu lugar de diálogo com Deus sendo dramático, intenso e doloroso. Essas orações são o que a Bíblia chama de poemas de lamento. É sobre isso que esse texto vai falar. Primeiro fortalecendo a ideia que há espaço na vida cristã para o lamento e segundo ressaltando sua importância.

Até quando, Senhor? Acaso te indignarás para sempre? Arderá o teu zelo como fogo? Salmos 79:5

O LAMENTO

O termo lamento, no mundo hebraico antigo, é a forma especializada da palavra “grito”, “pedido de socorro”. Ao longo da história de Israel, o lamento se tornou uma prática litúrgica fundamental – tanto na devoção pessoal quanto no culto público.

Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia? Salmos 10:1

 

Ó Deus, por que nos rejeitaste para sempre? Por que se acende a tua ira contra as ovelhas do teu pasto? Salmos 74:1,2

 

Lamentar nada mais é do que oferecer honestidade a Deus, deixar de lado a censura quando falamos da dor, do sofrimento, preocupação e angústia. Deus não se relaciona com nossas máscaras, sendo assim Ele lida diretamente com o coração real e desnudo como é. Sempre é melhor “reclamar” de Deus com Deus do que para outra pessoa – a segunda opção é a característica da murmuração, que Deus abomina.

O LUGAR DO LAMENTO NA VIDA CRISTÃ

A melhor decisão na hora da dor é correr para Deus. Davi, Jó e o próprio Jesus já se sentiram abandonados por Deus, questionaram seus planos, se perguntaram se Deus os tinha rejeitado e clamaram para que Deus não fizesse isso. Possivelmente, esse sentimento não é estranho para você também. O que eles fizeram diante desses sentimentos que o sofrimento causa, foi correr em lágrimas para o Senhor e transbordar sua indignação e dor diante do trono da Graça

Chegue a minha oração perante a tua face, inclina os teus ouvidos ao meu clamor;

Porque a minha alma está cheia de angústia, e a minha vida se aproxima da sepultura.

Estou contado com aqueles que descem ao abismo; estou como homem sem forças, Salmos 88:2-4

 

O lamento do crente o aproxima de Graça, Deus nunca rejeitou o coração quebrantado e contrito, com certeza nem eu e nem você seremos os primeiros.  O lamento representa um “lugar” onde os cristãos podem trazer suas emoções diante de Deus, mesmo que essas não sejam muito “agradáveis” e cordiais. 

QUAL A FUNÇÃO DO LAMENTO? 

O lamento expressa: (a) súplica, pedido de ajuda ou oração por socorro;  (b) intercessão; e c) confissão de pecado ou de insuficiência diante de Deus. Além de servir como forma de protesto, no sentido de chamar a atenção de Deus, inquirindo sobre suas promessas feitas anteriormente, o lamento é um lugar para processar emoções, derramar o coração e ver a dor do lado de fora da nossa mente através de palavras e lágrimas. Esse tipo de oração é também o lugar de expormos questões de confusão e incredulidade sobre aspectos do caráter de Deus.

 Assim, o lamento existe para ensinar nosso coração a depender de Deus. E a correr para a única fonte de socorro possível. Existem situações onde não existirá outra opção além de chorar, clamar por misericórdia, reconhecer que não somos capazes de algo e deixar que nossa dor encontre com a face de Deus. Lamentar não é se rebelar, pelo contrário, é correr pra Deus e trazê-lo para dentro da minha dor. Ao invés de virar as costas, ficar indiferente ou simplesmente nos afundarmos em reclamação para todos os lados sem recorrer a quem pode resolver o problema

Podemos vê-lo como o contraponto do louvor ou ação de graças e, juntamente com este, constitui a totalidade da devoção: louvor e gratidão a Deus, por um lado, confissão e petição, por outro.  

A RESPOSTA DE DEUS AO LAMENTO

A Bíblia nos ensina que aqueles homens que lamentaram com o Senhor, foram os mesmos que experimentaram as afeições de Deus. Colheram do coração do criador amor, lágrimas, resposta e acolhimento. Leia na íntegra alguns salmos de lamento e veja como a maioria deles se encerram com oração de louvor e gratidão. Davi teve o coração de Deus. Assim como Maria que o questiona sobre a morte de seu irmão Lázaro e a reação de Jesus é se juntar ao choro dela, mesmo sabendo que a ressurreição viria.

Então esse é o Deus para o qual você ora. Acredite, Ele não só escuta como se revela em meio a dor. Ele é o bom pastor no dia bom, no alto da montanha e mas também no dia mau e no vale da sombra da morte. 

Assim, comece agora mesmo! “Bem-aventurados os que choram pois serão consolados” (Mt 5:4)  

USANDO A BÍBLIA PARA LAMENTAR

Você pode usar a Bíblia como linguagem de oração e exemplo de lamento. Deixou a seguir uma lista com os principais salmos de lamento divididos em individuais e comunitários. Você pode devolver essas palavras do Salmista ao Senhor novamente e fazer dessas palavras como suas.

Comunitário – Salmos 12, 44, 58, 60, 74, 79, 80, 83, 85, 89*, 90, 94, 123, 126, 129

Individual – Salmos 3, 4, 5, 7, 9-10, 13, 14, 17, 22, 25, 26, 27*, 28, 31, 36*, 39, 40:12-17, 41, 42-43, 52*, 53, 54, 55, 56, 57, 59, 61, 64, 70, 71, 77, 86, 89*, 120, 139, 141, 142

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Este post tem um comentário

Deixe um comentário