Esse ano teremos eleições no Brasil. Falar sobre nossa nação e a escolha de seus governantes não se trata de ser de direita ou esquerda. Por isso, sugiro que meditemos sobre nosso papel em nossa pátria. Já que isso não é uma questão política, e sim uma questão de reino.

Como todo brasileiro, eu já falei mal do Brasil (e me envergonho disso). Já tive vergonha de ser brasileira em momentos variados. Já me emocionei ao ouvir o hino nacional sendo tocado ao final de algum campeonato. Já vibrei diante de notícias que destacavam alguma conquista. Já chorei diante das derrotas, de escândalos.

Atualmente temos sido bombardeados com notícias de desordem. Mas como será que Deus vê o Brasil? Qual é o nosso papel de embaixadores de seu reino em nossa nação? A igreja tem um papel fundamental no desenrolar de fatos que acontecem no Brasil. Nosso papel, ao contrário do que muitos pensam, é relevante. Somos instruídos pela palavra a orar:

Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador. I Tm. 2.1-3

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. II Cr. 7.14

Como seres humanos, falhos que somos, gostamos de achar desculpas e justificativas para nossos fracassos. Fazemos isso de forma privada e coletiva. Raramente assumimos nossa responsabilidade de ser agentes de mudança. É a bíblia que nos instrui a respeito do conhecimento que Deus tem a nosso respeito (Sl. 139). Isso inclui o lugar de nascimento, não acham? Portanto, não creio que nascemos brasileiros por acaso.

Somos responsáveis pelos rumos de nossa nação de maneira prática. Por isso, não podemos negligenciar nosso papel. Devemos orar, não só pelos governantes, mas também ser exemplos de bons mordomos. Jesus não nos orientou a termos um partido político. Alguns talvez tenham chamado para atuar nesse meio, e isso é legítimo.

Mas é mais do que buscar justiça social ou igualdade de condições e vida digna. Assim, nas pequenas coisas podemos ser testemunhas de um reino que não terá fim. Nosso modelo é Jesus. No Sl. 2.8, a palavra nos diz: “Pede-me e eu te darei as nações por herança, e os fins da terra por tua possessão.

O Brasil é nossa herança! Portanto, lutemos por ela bombardeando os céus com nossas lágrimas e clamor. Acessemos o trono dAquele que tem poder pra remover reis e estabelecer reis (Dn. 2.21). Não negligencie seu papel. Não permita que o inimigo o distraia com coisas que não estão dando certo. Já que somos agentes do reino, temos que trazer a existência o que não existe. Porque os céus precisam invadir a terra.

O Brasil é uma nação linda. Tem muitos recursos naturais. Tem um povo guerreiro, que aprendeu a lutar. Somos hospitaleiros, alegres, acolhedores. Temos muitas coisas em nossa cultura que revelam o coração do Pai. O Brasil não é um engano. Essa nação nasceu no coração de Deus, assim como eu e você.

Por isso, oremos pelo Brasil, por seus governantes. Abençoemos nossa nação. Esse é nosso papel como brasileiros. É quando apresentamos nossa Pátria Amada ao Pai que ama, que exercemos nossa cidadania. Pois Ele deseja e tem poder para mudá-la.

Grace

Grace Wasem, gaúcha, atuou como secretária no mercado de trabalho por 30 anos. Em 2016 vinculou-se ao FHOP como missionária tempo integral. Sonha ver e contribuir para o treinamento de uma noiva apaixonada que clama: Maranatha!
×
×

Carrinho

Fechar