Fazer discípulo é um privilégio para todos os seguidores de Jesus. Não é apenas uma tarefa para um tipo especial de cristão ou alguém mais dotado teologicamente, mas temos a oportunidade de participar da Grande Comissão. 

O nível de intimidade dos discípulos com Jesus era mais profundo do que o relacionamento nutrido com a multidão. Pois, os discípulos permaneciam próximos e eram ativamente participantes da vida do Senhor, mas a multidão sempre precisa voltar para casa. E essa é uma característica muito importante: um discípulo permanece junto ao Mestre enquanto a multidão se vai.

Jesus deu uma ordem contundente aos seus melhores amigos, geralmente associamos à palavra CHAMADO! Mas repito, não foi apenas um chamado, mas uma ativa ordenança de como os discípulos deveriam viver.

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mateus 28:18-20

Gosto muito dessa passagem de Mateus e tenho uma conexão pessoal com este texto. Pois, em 2014 eu estava fazendo um treinamento em JOCUM Fortaleza, o Shine, e ali eu questionei ao Senhor: “Mais um curso, Senhor? Para quê mais um curso?” E foi aí que eu ouvi: “Mateus 28.18”. Então, abri minha Bíblia e senti grande paz  ao ver o Senhor me respondendo.

Mas, o que é ser um discípulo? Quais as características de um verdadeiro e comprometido seguidor de Jesus? Neste devocional, buscaremos conhecer o coração de Deus e o que a Bíblia diz a respeito desse tema.

1. O discípulo tem comunhão com o Pai

“E, em seu amor, nos predestinou para sermos adotados como filhos, por intermédio de Jesus Cristo, segundo a benevolência da sua vontade, para o louvor da sua gloriosa graça, a qual nos outorgou gratuitamente no Amado.” Efésios 1.5-6

Fomos adotados por meio de Jesus e por isso nos tornamos filhos. Deus nos amou primeiro e nos escolheu para sermos conforme a sua imagem. À medida que o conhecemos somos transformados pela sua glória. O Breve Catecismo de Westminster afirma que “o fim principal do homem é glorificar a Deus, e gozá-lo para sempre.” O que esta afirmação te faz pensar? Leia o que diz o Salmista:

“Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra.” Salmos 73:25

Nosso fim principal é DESFRUTAR do Senhor, é ter nosso prazer Nele. É contemplar a sua beleza, toda a sua grandeza e a sua bondade. Como discípulos podemos ter comunhão com o Pai, com o Filho e com o Espírito Santo e passamos a ser testemunha viva de quem Jesus é. Nos tornamos parecidos com Jesus e resplandecemos à sua glória.

E como acontece essa comunhão? Através de uma vida de oração, adoração, meditação e estudo da Palavra. Não de forma esporádica ou casual, mas diariamente crescemos em buscar o Senhor e perseveramos nesse valor.

2. O discípulo faz parte da família de Deus

“Portanto, não sois mais estrangeiros, nem imigrantes; pelo contrário, sois concidadãos dos santos e membros da família de Deus,” Efésios 2.19

Além de termos comunhão com o Pai, agora somos membros da família de Deus. Não precisamos mais andar sozinhos, solitários e independentes. Porém, podemos contar com muitos irmãos na família da fé. Ainda, em Atos 2.42 é possível observar algumas atividades daquela igreja local que estava começando a nascer. Eles perseveravam:

Na doutrina dos Apóstolos: Eles obedeciam os ensinos dos Apóstolos.

Na comunhão: Eles insistiam no relacionamento entre os irmãos. Tinham tudo em comum e vendiam as suas posses para dividirem o que possuíam entre todos.

No partir do pão: Eles celebravam a Ceia do Senhor relembrando o significado do sacrifício de Jesus. O pão simboliza o seu corpo partido na cruz e o vinho o sangue derramado pelos nossos pecados. Assim, eles anunciavam a morte de Cristo em nosso lugar e que um dia Ele retornará para nos buscar.

Nas orações: A Igreja perseverava em oração e orar é uma forma de ouvir a Deus e compreender seu coração.

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” Atos 2:42

3. O discípulo é um servo amoroso

“Antes de tudo, exercei profundo amor fraternal uns para com os outros, porquanto o amor cobre uma multidão de pecados. Sede hospitaleiros uns para com os outros, sem vos queixar. Servi uns aos outros de acordo com o dom que cada um recebeu, como bons administradores da multiforme graça de Deus.” 1 Pedro 4.8-10

Que realidade maravilhosa é saber que o amor cura a nossa alma e nos leva a um patamar de liberdade sobrenatural. O profundo Ágape de Cristo é a fonte de nossas vidas, pois o seu amor cobre uma multidão de pecados. E agora, somos convocados a continuar liberando a vida de Deus através de nossas ações mais simples. Não somos exigidos naquilo que não podemos dar, mas exortados a servir com os dons recebidos de Deus, isso é sabedoria e boa administração da multiforme graça do Senhor.

4. Somos testemunhas de Cristo

“Então, convocando-os novamente, ordenaram-lhes que não falassem, tampouco ensinassem em o Nome de Jesus. Contudo, Pedro e João propuseram-lhes: “Julgai vós mesmos se é justo diante de Deus obedecer a vós mais do que a Deus. Pois não podemos deixar de falar de tudo quanto vimos e ouvimos!” Atos 18-20

Um discípulo verdadeiro não consegue esconder sua luz, mas é impulsionado a falar tudo quanto viu e ouviu. Então pense: o que você tem vivido com o Senhor? Assim como Pedro e João, você também não consegue deixar de falar?

Provavelmente, já tenha lido na Bíblia que Jesus era diferente em seu ensinar, pois ele não ensinava como os mestres da lei, mas tinha autoridade para falar. Isso é a respeito da vivência acima das palavras. Há uma música da Banda Fruto Sagrado que diz: “O que a gente faz fala muito mais do que só falar.” Em nosso estilo de vida, somos desafiados a viver além do mero falar do evangelho, mas principalmente ser em essência cheios de amor, retidão, justiça e piedade.

Conclusão

Como aprendemos, a Grande Comissão não é apenas um chamado, mas uma ordem dada aos discípulos pelo próprio Jesus: IDE! Fomos convocados a ensinar e obedecer  tudo que o Senhor nos ordenou. Nos tornamos parecidos com Jesus quando desfrutamos de sua presença, o buscamos de todo o nosso coração e perseveramos no estudo da Palavra, na comunhão dos Santos, na oração, no partir do pão.

Nossa maior missão como Igreja é fazer discípulos de todas as nações, batizando-os e ensinando com o nosso estilo de vida mais do que com as nossas palavras. Então, vamos ampliar a nossa visão? Pois o Senhor, quer nos usar para levar boas novas, então alargue o espaço de sua tenda e firme bem as estacas.

“Alarga o espaço da tua tenda; estenda-se o toldo da tua habitação, e não o impeças; alonga as tuas cordas e firma bem as tuas estacas. Porque transbordarás para a direita e para a esquerda…” Isaías 54:2-3a

Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso, Nayla é missionária em tempo integral desde 2011, tendo já servido durante 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão) e quase 2 anos como missionária intercessora no FHOP (Florianópolis House of Prayer). Nayla carrega um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ama o mundo artístico e criativo, é apaixonada por missões, mas tem como maior desejo ver o nome de Jesus sendo conhecido entre todos os povos e tribos da Terra.

Deixe uma resposta