A palavra-chave aqui é comum a muitos de nós: comparação. Um dia me percebi profundamente frustrada e decepcionada comigo mesma, mas não sabia identificar a justificativa para ele. A questão é que me sentia frustrada com minha vida e fracassada em ser quem eu era. E em oração senti Deus sussurrar firmemente algumas perguntas e as faço a você hoje: qual medida você está usando para medir a sua vida? Com base em que você está definindo sucesso ou fracasso?

A partir daí começo a escrever esse texto. Comparação foi a resposta rápida e obvia (e bem dolorida) que veio em minha mente após essas perguntas. É  fácil pararmos para avaliar nossa vida e findar fazendo isso se fundamentado na vida das outras pessoas. Porém, esse é um lugar perigoso para o nosso coração. O caminho sugerido é: silencie a voz da comparação na sua vida.

Até entre os discípulos de Jesus nós vemos isso. Quando Jesus restaura Pedro após a ressurreição, Pedro indaga Jesus sobre a vida de João. É claro que nitidamente Jesus não gosta muito da pergunta de Pedro e o responde deixando claro isso. (Jo 21:21-22). Vemos também os discípulos discutindo sobre quem seria o maior, e novamente Jesus apresenta uma nova mentalidade sobre medir grandeza (Mt 20:26)

Fruto da Comparação

A comparação surge da nossa natureza humana que é voltada para relacionamentos e pessoas. Somos seres sociais! Pensamos sobre as pessoas, precisamos de relacionamentos, e isso foi divinamente planejado. Porém, compartilhamos de uma natureza caída que distorce os aspectos da imagem de Deus em nós.

Por meio disso a comparação frutifica em inveja, inferioridade, medo, vergonha, fofoca, temor dos homens, maldade, incredulidade, superioridade, orgulho, presunção e a lista pode ir bem longe. Além de produzir dor emocional real e servir como catalisador pra o retrocesso ou estagnação. Ela também  nos afasta da singularidade e da porção e conjunto de dons e talentos que foi dada a cada ser humano, que revela Deus de maneira única e que é fruto de sua graça.

E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo. Por isso, é que foi declarado: “Quando Ele subia em triunfo às alturas, levou cativos muitos prisioneiros e distribuiu dons aos homens”. (Ef 4:7-8)

Sobre sucesso

O caminho saudável para encarar é medir sucesso pessoal de acordo com sua própria vida, e não com a vida de outro. A sua pele só serve em você e a minha em mim. Então preciso avaliar a minha vida na medida e porção que o Senhor colocou sobre mim. Seremos considerados bem-sucedidos se estivermos no lugar correto para cada um, baseado na avaliação do Criador.

“Você não pode usar a aparência de outra pessoa para medir o valor da sua essência” (Pedro Calabrez)

Posso trazer um exemplo bem comum no meio da igreja. Algumas pessoas podem considerar que só serão cristãos bem sucedidos se optarem por trabalhar integralmente no ministério, em missões ou na igreja, e se sentem frustradas e inferiores por estarem na faculdade ou no mercado de trabalho. Mas devemos pensar será mesmo que Deus chamou todos para estarem no ministério eclesiástico? Claro que não! Posso ser bem sucedida como missionário ou como empresário dependendo do que é a minha porção de graça nesse tempo. Ele nos criou diferentes para que formássemos um corpo coerente.

Tudo bem não ser perfeito

Outro ponto no qual podemos caminhar é sobre buscar estar bem na própria pele. Aceitar que seremos bons em umas coisas e péssimos em outras. Seremos fortes em algumas áreas e cheios de fraquezas a serem vencidas em outras. E tudo bem! Sempre haverá alguém melhor ou pior que nós em uma coisa ou outra.

E sabe de algo? Deus não está se descabelando e andando de um lado para outro na sala do trono porque você não é perfeito. Ele já sabe o que nos tornaremos e confia no que o Espírito Santo está fazendo em nós até a sua vinda. (Fl 1:6) Ele é capaz de nos ensinar a manejar cada detalhe de fraqueza e força.

A ideia de buscar perfeição em nós mesmo é uma fantasia que não será concretizada, não existe perfeição fora de Deus. Nós caminhamos sendo justificados e aperfeiçoados em Cristo. E nesse contexto Paulo em Filipenses 3:16 dá uma dica interessante: “Tão somente vivamos de acordo com o que já alcançamos”. Ou seja ele nos adverte a viver de acordo com a graça que nos foi e nos vai sendo concedida. A comparação atrapalha esse fluir da graça, porque nos faz olhar para graça que há sobre as outras pessoas e ignorar a que o Senhor tem para nós.

Dica Prática

Para concluir deixo um resumo de dicas práticas para silenciar a voz da comparação na sua vida: Fique em paz com quem você é, com suas fraquezas, seus defeitos, seus talentos e dons, sua personalidade e expressão de graça.  Submeta todas essas essas coisas ao governo dEle na sua vida, busque saber o que o Senhor quer fazer com isso. Desligue os gatilhos que levam você a comparação (ex.:conversas ou redes sociais são gatilhos bem eficazes em nos levar a comparação).  Busque uma vida para a audiência de um – isso é sucesso. Posicione seu coração na consciência do olhar do Senhor que não usa a mesmas medidas que nós para nos avaliar. Viva na confiança do bom pastoreio e liderança do Senhor sobre sua vida.

Este post tem 3 comentários

  1. Obrigada! ❤️

  2. Muito obrigada. Precisava ler isso, para reposicionar o meu coração. Deus vos abençoe.

  3. Edificante.

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho

Fechar