Eu amo ler o livro de salmos e poder encontrar expressões tão genuínas de louvor, devoção, arrependimento e lamento. Isso me dá a convicção de que adoração não é simplesmente algo místico e desligado da realidade, mas que em cada aspecto das nossas vidas e em qualquer circunstância podemos glorificar o Senhor.

Entre os salmos, um dos meus favoritos é o 84. Nele vemos um cântico de peregrinação escrito pelos filhos de Corá. 

“Como é agradável o lugar da tua habitação, Senhor dos Exércitos! A minha alma anela, e até desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e o meu corpo cantam de alegria ao Deus vivo.” Salmos 84:1,2

Ao observarmos, vemos que essa passagem narra a jornada do peregrino. Da saudade pela casa do Senhor, passando por um caminho cheio de vales, até o seu deleite em avistar Sião. 

Essa é uma canção de esperança para todos nós, pois todos nos encontramos nesse intervalo entre a promessa e o encontro. 

Peregrinos de coração

“Como são felizes os que em ti encontram sua força, e os que são peregrinos de coração!” Salmos 84:5

Esse outro trecho traz algumas bem-aventuranças que me chamam atenção, afinal, o que significa ser peregrino de coração ou, como dizem algumas versões, ter um coração cujo caminho está aplainado? 

Significa que há apenas um caminho e que não existem atalhos. E que essa peregrinação, por mais longa e árdua que seja, é reta.

Assim, não podemos desviar os nossos olhos. Nós precisamos manter um coração peregrino, que enquanto espera ansiosamente raiar o dia perfeito, continua caminhando e cantando. 

E mesmo que passemos pelos vales de choro e lamento sabemos que ainda não é o fim da jornada. Ainda não estamos em nossa casa. Somos todos peregrinos rumo a Sião! 

Tristes são os que fizeram do vale o seu lar ou armaram suas tendas nos altos montes. Saiba, os encantos desta vida não podem nos roubar o desejo pela cidade do Senhor, nem as tristezas da caminhada podem abafar a esperança da promessa que Ele nos fez “na casa do meu Pai há muitas moradas”. 

Um caminho reto 

Ao passarem pelo vale de Baca, fazem dele um lugar de fontes; as chuvas de outono também o enchem de cisternas. Salmos 84:6

Tenha certeza de que vales, desertos e terrenos acidentados virão, porém em nosso coração o caminho é reto e direto para Sião. Nossos olhos estão no Senhor e ainda que o vale da sombra da morte nos cerque, a luz que ilumina Sião nos aponta para a direção certa. Por isso, não temos  do que temer.

Não somos andarilhos, indo de um lado para o outro sem direção, somos peregrinos com lugar e hora marcada para o encontro com nosso Amado.

A grande verdade que podemos concluir é que felizes são aqueles que descobriram que há um propósito eterno para a jornada e que por isso perseveram confiantes.

Deixe uma resposta

×

Carrinho